NOTÍCIAS
03/09/2014 12:30 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:02 -02

Campanha da Malaysia Airlines é suspensa por fazer referência à 'lista de desejos antes de morrer'

Greg Wood / Getty Images

O que era para ser uma iniciativa que iria aumentar o número de passageiros nos aviões da Malaysia Airlines – que andam bem vazios – acabou dando muito errado.

A companhia aérea modificou o nome de uma campanha que perguntava aos passageiros quais destinos estavam em sua “bucket list”.

A escolha de palavras, no entanto, não podia ser mais infeliz. Em inglês, o termo se refere às coisas que alguém deseja fazer antes de morrer.

Neste ano, dois graves acidentes envolvendo aeronaves da companhia mataram 537 pessoas.

A promoção oferecia prêmios incluindo viagens para a Malásia em um concurso chamado “My Final Bucket List”. A campanha foi divulgada na Austrália e na Nova Zelândia.

Segundo o Guardian, a companhia emitiu um comunicado dizendo que retirou a campanha de circulação.

De acordo com a Malaysia, a expressão utilizada no slogan foi aprovada por ser comum e amplamente usada em ambos os países.

“A companhia preza e compreende os sentimentos públicos e, de forma alguma, quis ofender”.

A promoção foi renomeada para “Ganhe um iPad ou um voo da Malaysia Airlines para a Malásia”.

A iniciativa repercutiu nas redes sociais.

Crise

A Malaysia já vinha com dificuldades financeiras mesmo antes dos dois acidentes, que agravaram a situação. Nos últimos três anos, a companhia registrou perdas de US$ 1,3 bilhão.

Segundo o Daily Mail, a companhia aérea vem registrando perdas diárias de mais de US$ 2 milhões e busca estratégias para sobreviver.

Ainda de acordo com a publicação, em um esforço para aumentar o número de reservas, a Malaysia aumentou a comissão de agentes de viagem na Austrália de 6% para 11%.

Os voos da companhia, no entanto, seguem vazios.

A empresa deve ser comprada pelo fundo soberano Khazanah Nasional – que já detém parte da companhia - e com isso são esperadas medidas de reestruturação, incluindo redução de vagas e corte de rotas internacionais pouco lucrativas.

Segundo a Mashable, os detalhes da operação ainda não foram divulgados, mas não estão excluídas possibilidades extremas como mudança do nome e da marca da Malaysia.