NOTÍCIAS
01/09/2014 19:01 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:02 -02

'Não satanizo ninguém que defende legalização de aborto e maconha', diz Marina Silva

ALICE VERGUEIRO/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

A candidata à Presidência Marina Silva (PSB) tentou explicar sua posição política sobre a legalização do aborto e das drogas. "Eu não satanizo ninguém que defende legalização da maconha nem aqueles que defendem a legalização do aborto", argumentou no debate transmitido nesta segunda-feira (1º) por SBT, Folha de S. Paulo, UOL e Jovem Pan.

Marina admitiu que pessoalmente é contrária à legalização do aborto para além das situações já previstas – em caso de estupro ou gestação de feto anencéfalo.

Entretanto, a ex-ministra informa que é necessário um debate público sobre ambas as questões, antes de uma decisão.

"Esse debate precisa ser feito com muito cuidado e responsabilidade; ele envolve questões filosóficas, éticas, morais e espirituais", justificou. "Há uma visão atrasada que, em vez de discutir o mérito, discute o rótulo."

Para Marina, essa discussão deve ser sucedida por um plebiscito, consultando toda a população, sobre a legalização do aborto.

LEIA MAIS:

- 'Não sou o presidente Fernando Henrique lamentavelmente', diz Aécio Neves, sobre proposta do PSDB para aposentados

- Em nove dias, Marina supera Dilma e Aécio em engajamento no Facebook e vira líder de buzz entre os presidenciáveis