NOTÍCIAS
30/08/2014 12:04 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:02 -02

Estado Islâmico vende mulheres da etnia yazidi por 1 mil dólares

AP

Dezenas de mulheres da etnia yazidi foram vendidas pelo Estado Islâmico por 1 mil dólares (R$ 2,24 mil) para serem casadas à força na Síria. A denúncia foi feita na manhã de hoje (30) pelo Observatório Sírio de Direitos Humanos.

Em nota, o grupo ativista afirma que o Estado Islâmico "dividiu entre seus combatentes 300 meninas e mulheres da comunidade yazidi que haviam sido sequestradas no Iraque nas últimas semanas". Entre as vítimas do tráfico, "ao menos 27 foram vendidas e casadas" com jihadistas nas províncias de Aleppo, Raqa e Hasaka, no norte da Síria.

"Cada mulher foi vendida por US$ 1 mil, depois de ter sido convertida ao Islã", afirma o grupo.

Os yazidis são uma comunidade de língua curda não muçulmana.

Em 12 de agosto, Heiner Beilefeldt, relator especial da ONU sobre liberdade de religião e crenças, disse haver notícias de sequestros e execuções de centenas de mulheres e crianças pelo Estado Islâmico, além de casos de mulheres vendidas a milicianos. Tais notícias foram confirmadas por refugiados yazidis no Iraque.

(Com agências internacionais.)