NOTÍCIAS
29/08/2014 16:09 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:02 -02

MEIO AMBIENTE: mais de 100 mil elefantes foram mortos na África em apenas dois anos, revela estudo

Getty Images

O mais amplo estudo já feito sobre a caça ilegal de elefantes, publicado na semana passada no Proceedings of the National Academy of Sciences, estima que 100.000 deles foram vítimas da atividade entre 2010 e 2012. Isto diminuiu em 2% a 3% sua população no continente africano, confirmando que o comércio de marfim chegou a níveis insustentáveis.

É difícil saber exatamente quanto elefantes vivem na África, e quantos são mortos pelos caçadores, dados o tamanho do continente e a variação da qualidade do monitoramento de país para país. Mas estimativas confiáveis são cruciais para que autoridades e cientistas entendam a plena magnitude do problema.

George Wittemyer, ecologista da conservação da Universidade Estadual do Colorado, examinou com sua equipe dados demográficos e analisou as causas das mortes para obter evidência de taxas de atividades ilegais em nível local, regional e continental.

Os pesquisadores começaram examinando elefantes selvagens na Reserva Nacional Samburu, no Quênia, onde cada nascimento e morte foi registrado desde 1998. Usaram os números de carcaças para determinar a causa das mortes, e encontraram evidência robusta de que as taxas de mortes ilegais começaram a disparar em 2009. Além disso, verificaram estarem fortemente correlacionadas com aumentos no preço do marfim no mercado negro e com apreensões do material destinado à China.

Julian Blanc, da Convenção de Comércio Internacional de Espécies Ameaçada de Flora e Fauna, co-autor do estudo, disse que, “mantidas as taxas, teremos um grau significativo de declínio nos próximos anos.” Afirmou também termos de “levar em conta que áreas diferentes são afetadas de formas diversas.” Ainda existe crescimento populacional em partes da África, como Botsuana, mas em outras áreas o nível da caça é devastador, como na região central do continente. Estima-se que, nela, o número de elefantes tenha caído 60% em uma década.

Segundo relato da BBC, John Scanlon, secretário-geral da convenção, afirmou que “o mundo precisa decidir até onde quer ir em seus esforços de conservação desta espécie magnífica e, então, se preparar para mobilizar recursos humanos e financeiros necessários para a tarefa.”

via: