NOTÍCIAS
28/08/2014 12:05 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:02 -02

Disseram que as fotos da filha de um artista eram pornográficas. Esta foi a resposta dele

Wyatt Neumann é fotógrafo e pai. Em 2014, ele levou sua filha de dois anos, Stella, numa viagem de carro pelo país, fotografando a jornada ao longo do caminho. Neumann capturou milharais e o por-do-sol e, é claro, Stella, muitas vezes usando a combinação de roupas prediletas de uma menina de dois anos: um vestido de princesa e nada mais.

No meio da viagem, o que a Safari Gallery descreve como um grupo “hiperpuritânico e neoconservador” lançou um ciberataque contra as imagens de Neumann, especialmente as de Stella. Chamando as imagens de “perversas”, “doentias” e “pornográficas”, membros do grupo tentaram tirar da web todos os rastros delas. Eles conseguiram que o Facebook e o Instagram fechassem a conta de Neumann e criticaram o site do artista. Neumann disse que estava aberto à expressão da opinião dos outros, mas que a “censura forçada” foi longe demais.

“O público anônimo expressou suas opiniões sobre meu trabalho”, disse ele em entrevista ao Huffington Post. “Foram as ações que eles tomaram contra mim. A realidade, para mim, é que essas pessoas podiam afetar minha capacidade de me expressar. Eles derrubaram meu Instagram e meu Facebook; são plataformas enormes para um fotógrafo. Teve um impacto físico na minha capacidade de me comunicar. O fato de que eles puderam controlar minha experiência me deu vontade de reagir. Eu realmente acredito que o trabalho é bonito e [revela] a inocência da infância.”

Neumann estava determinado a transformar todo o ódio que lhe foi dirigido em algo belo. Em vez de ignorar as críticas, ele criou uma nova série em que justapôs os comentários odiosos com as imagens correspondentes, que ele considera inocentes. O que ele criou foi uma exposição que apresenta os dois lados do debate, para que os visitantes interpretem as imagens eles mesmos.

O título da exposição – “I FEEL SORRY FOR YOUR CHILDREN – The Sexualization of Innocence in America” (Tenho pena dos seus filhos – a sexualização da inocência na America, em tradução livre) – foi inspirada em parte por um comentário feito sobre uma das imagens. Ele dizia: “Essa coisa toda é nauseante e eu TENHO PENA DOS SEUS FILHOS.” A exposição examina os ataques feitos contra as fotos assim como o que Neumann vê como um segmento da cultura contemporânea que viceja com a vergonha e a censura, o que incitou tais ataques.

“Quando decidi fazer a exposição estava chateado, pensando: ‘Quer saber? Acho isso belo’”, continuou Neumann. “Vou mostrar para o mundo a maneira que as vi quando as tirei. Vou colocá-las em molduras bonitas, em paredes bonitas de uma galeria bonita.”

A exposição mostra as imagens de Neumann orgulhosamente e levanta as questões feitas online por críticos anônimos em uma esfera pública. Essas imagens são arte ou pornografia? Exploração ou expressão? O corpo humano é objeto de vergonha ou de maravilhamento? Medo ou liberdade? Essas perguntas não são só o centro dessa exposição, mas de um debate sobre a sexualização de jovens meninas que vai muito além dos parâmetros do mundo artístico.

Neumann investiga os detalhes mais obscuros em sua declaração de artista: “O que é problemático é esse insulto abjeto ao corpo humano, a intensa e evidente sexualização da forma humana natural, especialmente os corpos nus de crianças despreocupadas, que ainda não sentem o peso da consciência e do embaraço da imagem institucionalizada do corpo que vem com a adolescência. Meus filhos são livres, eles vivem sem vergonha.”

Ele continou: “Meus filhos têm a vida inteira para ter problemas com o corpo. Minha filha vai se sentir feia durante muito tempo. Quero que meus filhos tenham uma fundação sólida de autoconfiança e de sensação de valor.”

A exposição joga luz sobre uma luta que muitos pais solteiros enfrentam. Eles muitas vezes se sentem alvos de suspeitas públicas por estarem sozinhos com uma menina. “A reação mais forte [à exposição] foi a de um pai, um pai solteiro. Ele chorou. Disse: “Sofro com isso o tempo todo. Sinto isso na América. Como um homem com uma menina pequena, sinto isso o tempo todo’. Como pais, tentamos fazer o melhor; é difícil. A nova geração de pais neste país está adotando muito do ethos e da posição que tradicionalmente era das mulheres.”

Veja a impressionante série de Neumann abaixo, com os comentários feitos por usuários incógnitos. E deixe os seus próprios comentários sobre esse projeto corajoso.

Aviso: alguns leitores podem considerar ofensiva a linguagem abaixo.