NOTÍCIAS
27/08/2014 06:06 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:54 -02

Drops do #DebateDaBand: saiba o que rolou de melhor e de pior e você não viu na TV

Thiago de Araújo/Brasil Post

O debate com os candidatos à Presidência da República realizada pela Rede Bandeirantes na noite desta terça-feira (26) apresentou um cardápio variado, seja você um eleitor sério e que busca mais respostas sobre o que foi o encontro, seja você apenas mais um interessado em um conteúdo um pouco mais, digamos, ‘leve’ do que acontece nos estúdios da emissora no Morumbi, na zona sul de São Paulo.

Aos que se encaixam no primeiro time, o Brasil Post tem uma porção de links bastante informativos aqui, aqui, aqui, aqui, aqui, aqui, aqui e aqui.

Por outro lado, tem coisas que nem sempre as câmeras focalizam ou os microfones conseguem captar. A seguir, alguns ‘drops’ do que rolou de melhor e de pior no #DebateDaBand e você não faz a menor ideia.

MALDADE MIDIÁTICA

Antes mesmo da chegada dos principais candidatos, uma animada conversa entre jornalistas rendeu duas aspas no mínimo curiosas. A primeira foi esta aqui: “a Marina f* a eleição”, emu ma referência a sua entrada na vaga do falecido Eduardo Campos e o mais recente resultado no Ibope, divulgado horas antes.

A replica não foi menos maldosa: “Imagine ela subindo a rampa do Palácio do Planalto com uma Bíblia embaixo do braço, hein?”.

Por razões óbvias, nos reservaremos o direito de não revelar os nomes dos autores de tamanhas fanfarronices.

TODOS COM MEDO DE MARINA

O tom geral entre tucanos e petistas era formado por um misto de surpresa e incredulidade a cada pergunta sobre o resultado divulgado pelo Ibope nesta terça-feira. “Os numerous que temos são diferentes”, pontuou o presidente do PT, Rui Falcão. “Nós já esperávamos, mas ela atingiu o limite. Duvido que cresça mais”, analisou o ex-governador tucano Alberto Goldman.

O presidente do PT, Rui Falcão

Sobre as perdas, foi um toma lá da cá entre PT e PSDB, cada qual se garantindo no segundo turno contra a ascendente Marina. “Dilma está liquidada!”, proferizou Goldman, enquanto Falcão crê que o PSDB “é quem deve se preocupar”.

De camarote, peesebistas mostravam bom humor com os números e ensaiavam até tripudiar, ainda que de leve, os rivais. “Os dados que temos apontam uma porcentagem ainda maior da Marina, mas é aquilo, cada instituto tem o seu método”, comentou Márcio França, president do diretório paulista do PSB.

DILMA X DILMA

Conhecidos por suas imitações da president Dilma Rousseff, os humoristas Gustavo Mendes e Márvio Lúcio (o Carioca do Pânico) não pareciam ter combinado nada, mas protagonizaram um encontro inusitado antes do debate começar.

O encontro das Dilmas

No que parecia uma reunião tensa e cheia de ironia, ambos acabaram exaltando a petista, se cumprimentaram e destilaram uma porção de palavrões. Quem estava por ali se divertiu à beça.

MAKE UP PRESIDENCIAL

O cabeleireiro e maquiador das celebridades Celso Kamura tirou foto e acompanhou atentamente o debate tão logo ele teve início nos estúdios da Band. Entre uma foto e outra, ele conversava com assessores de Dilma. Antes do terceiro bloco, sugeriu ir até a presidente para “dar um retoque” na maquiagem. Recebeu um “não” de um dos seguranças e teve de seguir acompanhando de longe.

Celso Kamura "is in the house"

Para quem não se lembra, foi dele a ideia de penteado que Dilma adotou antes da campanha eleitoral de 2010, e que a acompanha até hoje.

“DIGA QUE EU NÃO VIM”

Cadê o Serra? ACHOU!

O candidato ao Senado por São Paulo José Serra (PSDB) não era dado como uma presença certa, pelo menos de acordo com o discurso adotado pela maioria dos tucanos presentes ao debate. O ex-governador de São Paulo adotou um postura contida e ‘ficou escondido’ na plateia. Após as considerações finais do colega Aécio Neves, se retirou rapidamente. Tudo para fugir de perguntas incômodas, como as que recebeu um dia antes, durante o debate dos candidatos ao governo de SP no SBT.

‘ESQUECIDOS’ ENSAIAM O MESMO DISCURSO

Os candidatos Luciana Genro (PSOL) e Eduardo Jorge (PV) não possuem as mesmas propostas para o País, mas pelo menos em um ponto comentaram questões similares no debate da Band. Aliás, reclamaram. Ambos queriam “falar mais”.

"Deixa eu falar!"

Luciana, em determinado momento, falou abertamente, ao vivo, que queria ser chamada para responder, algo que não vinha acontecendo, o que gerou alguns risos contidos na plateia. Já Jorge, que teve os seus momentos de “humorista por um dia” junto com Levy Fidelix (PRTB), lamentou ter tão pouco tempo de TV para falar pouco do que quer fazer pelo Brasil.

“Daqui para frente vamos exibir o programa eleitoral e ficarei a disposição do eleitor por uma hora na internet para debater o nosso programa de governo. É muita coisa”, disse após o debate.

AH, OS INTERVALOS…

Os intervalos entre os blocos do debate propiciam cenas cômicas ou incomuns, para dizer o mínimo. A corrida de assessores para o palco a cada interrupção, a fim de prestar informações e orientações aos seus candidatos não chega a ser novidade.

Conversa e mais conversa nos intervalos...

Contudo, quando você imaginaria ver o Boris Casoy carregando uma baita bloco de perguntas e comentando sobre a “potência do ar-condicionado” do estúdio? “Lá é mais frio”, chamou a atenção ao apresentador Ricardo Boechat, que se mostrava bastante descontraído.

Voltou a ficar sério quando o director de jornalismo da Band, Fernando Mitre, o chamou para mais perto para lhe dar uma notícia. “Estamos dando 6… não, 5.8 de audiência (no Ibope)”, comentou, enquanto tentava sorrir e operar o seu smartphone ao mesmo tempo.

TRÉGUA SÓ NA HORA DE FAZER UMA BOQUINHA

Momentos antes do debate começar, algumas barraquinhas montadas pela Band para alimentar o grande número de convidados tiveram pequenas filas. Ao que parece, a fome era o único elemento capaz de apaziguar os ânimos entre os adversários.

Quem está com fome aí?

Ah, os sanduíches ao estilo X-Salada (mini X-Salada, na verdade) e os churros, pelo que se apurou, foram os preferidos dos presentes. Se confirmado o segundo turno presidencial, a emissora realiza o seu debate no dia 14 de outubro. É bom reforçar o cardápio até lá.