NOTÍCIAS
19/08/2014 12:26 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:52 -02

Protestos contra morte de jovem negro atraem americanos de outros estados; 31 são presos e dois ficam feridos

AP Photo/Charlie Riedel

Inicialmente restritos aos moradores de Ferguson, no Missouri, os protestos por causa da morte de Michael Brown, um adolescente negro de 18 anos, começam a atrair moradores de outras regiões dos EUA.

Após mais uma noite de tensão e protestos, autoridades locais anunciaram que prenderam 31 pessoas, algumas delas de outros estados americanos como Nova York e Califórnia.

Dois homens também foram feridos por disparos, e ainda não foram identificados pela polícia estadual. Segundo autoridades, os disparos não foram feitos pela polícia.

A situação também foi tensa para profissionais da imprensa que cobrem o conflito. Alguns jornalistas foram atingidos por bombas de gás lacrimogêneo e outros foram presos durante a madrugada.

De acordo com a agência de notícias Associated Press, um fotógrafo da Getty Images foi preso e dois jornalistas alemães ficaram detidos por três horas.

O Washington Post também reportou a prisão do repórter Ryan Deveraux, da organização The Intercept.

Durante entrevista na madrugada terça-feira (19), o capitão Ron Johnson, da Polícia Rodoviária de Missouri disse que alguns jornalistas poderiam ser detidos como uma medida de “proteção”.

Um toque de recolher foi imposto durante a noite e a Guarda Nacional foi mobilizada para impedir saques.

Embora um pouco da calma tenha sido restabelecida após a madrugada, alguns manifestantes prometem novos protestos durante a noite.

O motivo dos protestos?

As manifestações em Ferguson começaram na semana passada, após o jovem negro Michael Brown ser morto a tiros por um policial.

Uma autópsia independente, divulgada nesta segunda (18), revelou que ele morreu após receber pelo menos seis tiros, dois na cabeça.

Ainda de acordo com os peritos contratados pela família, não há indícios de que Brown teria sido morto durante um conflito ou uma briga. Os ferimentos indicam que ele foi atingido enquanto se afastava do atirador ou com as mãos para o alto.

A família Brown e manifestantes têm pedido a prisão do policial há dias, mas a polícia afirmou que Darren Wilson, de 28 anos, foi colocado em licença.

LEIA TAMBÉM

Ku Klux Klan levanta dinheiro para premiar policial que matou adolescente negro nos EUA

Autópsia independente revela que jovem negro recebeu ao menos seis tiros; mãe quer prisão de policial branco nos EUA