NOTÍCIAS
19/08/2014 16:00 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:52 -02

Bandido mais procurado de São Paulo, Roger Abdelmassih é preso no Paraguai

Sérgio Neves/Estadão Conteúdo

O homem mais procurado pela polícia de São Paulo já está atrás das grades. O médico Roger Abdelmassih, de 70 anos, foi preso no início da tarde desta terça-feira (19) em Assunção, no Paraguai, segundo informações repassadas ao Brasil Post pela assessoria de imprensa da Polícia Federal. A detenção aconteceu com o auxílio das autoridades paraguaias.

NOTA À IMPRENSA - PRISÃO ROGER ABDELMASSIH

Brasília/DF – A Polícia Federal informa que o médico Roger Abdelmassih foi preso hoje, 19/8, em Assunção, Paraguai, pela Secretaria Nacional Antidrogas paraguaia (SENAD) em parceria com a PF.

Após o procedimento de deportação sumária, ele dará entrada no Brasil por Foz do Iguaçu/PR e, posteriormente, em data a ser confirmada, será transferido para São Paulo.

Segundo a PF, uma investigação sobre o paradeiro de Abdelmassih – condenado a 278 anos por 52 estupros e quatro tentativas de abuso contra 39 mulheres em sua clínica, na capital paulista – já estava em andamento há algumas semanas e o médico acabou preso próximo à escola dos filhos dele com a esposa, Larissa, por volta das 13h25 (horário de Brasília). Segundo a SENAD, a prisão aconteceu no bairro Villa Morra. Ele foi entregue aos policiais federais brasileiros na Ponte da Amizade.

Foto do momento da prisão de Roger Abdelmassih em Assunção (Divulgação/SENAD)

O Ministério Público de São Paulo (MP-SP) deu mais detalhes da investigação. Segundo a Promotoria, o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO) – Núcleo Bauru vinha apurando novos crimes cometidos por Abdelmassih, como favorecimento pessoal, falsidade ideológica e falsidade material. No curso dos trabalhos, incluindo uma visita a um imóvel rural do médico na cidade de Avaré (SP), foi possível identificar a forte possibilidade dele estar escondido no país vizinho.

"Ao longo da investigação, ficou evidenciado possível paradeiro do ex-médico no Paraguai e a Justiça estadual, então, autorizou que o Ministério Público fizesse o compartilhamento das provas com a Polícia Federal, que evoluiu nas apurações e, nesta terça-feira (19/8), cumpriu o mandado de prisão expedido contra Abdelmassih, localizado em Assunção, capital paraguaia", diz a nota do MP-SP.

Abdelmassih já está em solo brasileiro e deve passar a noite em Foz do Iguaçu (PR). A expectativa é que ele seja transferido para São Paulo já nesta quarta-feira (20), caso não ocorram atrasos burocráticos. O médico liderava a lista de procurados da polícia paulista, com direito a uma recompensa de R$ 10 mil por informações que levassem ao seu paradeiro, desconhecido desde 2011, quando foi dado como foragido.

O médico é especialista em reprodução assistida e tinha em sua lista de clientes muitos famosos. Desta forma, Abdelmassih sempre afirmou ter auxiliado no nascimento de mais de 8 mil crianças, mas o que a polícia apurou, com base nas denúncias de clientes, é que ele abusava delas após sedá-las. Além disso, a paternidade das crianças geradas pelos tratamentos reprodutivos do médico não seria dos pacientes envolvidos, segundo a acusação feita pelo Ministério Público.

O médico chegou a ser preso em 2009, mas saiu no Natal daquele ano. Ele acabou condenado em 2010, mas ganhou o benefício de responder em liberdade, graças a uma decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ). Em 2011, o habeas corpus que o mantinha livre foi derrubado e um novo pedido de prisão foi decretado, já que Abdelmassih tentou renovar o seu passaporte, sugerindo que tentaria fugir do Brasil. Porém ele não foi mais encontrado.

Na mesma época ele passou a figurar na lista de procurados da Interpol. Em sua defesa, Abdelmassih nunca confessou os crimes e falava que "apenas beijava" o rosto das suas pacientes.