NOTÍCIAS
18/08/2014 17:27 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:52 -02

Investigações da série de 17 assassinatos em Goiânia estacionam após duas prisões

Facebook

Depois de prender dois suspeitos, as investigações da Polícia Civil sobre a série de dezessete assassinatos que deixou Goiânia com medo nas últimas semanas estacionou.

A força-tarefa formada no dia 4 de agosto com 56 investigadores trabalha com várias linhas de investigação concomitantemente. Em alguns casos, os crimes foram considerados casos isolados, mas há poucas informações concretas até agora. "Temos quase 90% de certeza que não foi a mesma pessoa que praticou todos os atos, mas a gente não pode garantir que uma pessoa não está em mais de um caso confirmado", afirmou o delegado Reinaldo Koshiyama, um dos coordenadores da força-tarefa.

Para a polícia, o grande número de crimes dificulta a apuração. "Investigação de homicídio é muito complicado, muito dinâmico. Como os fatos são muito complexos, a princípio, alguns dos casos não teriam motivação aparente, então acaba sendo mais complexo ainda", completou Koshiyama.

A primeira prisão, de um dos suspeitos, foi realizada no dia 8 de agosto. No dia seguinte, um homem de 27 anos por roubo em estabelecimentos comerciais. A polícia investiga se há envolvimento dele na série de assassinatos, já que os assaltos foram na mesma região que a última morte, no dia 2 de agosto, da adolescente de 14 anos, Ana Lídia de Souza.

Na sexta-feira (15), foram encontrados uma motocicleta e um capacete pretos. A polícia investiga se há uma relação dos objetos com os crimes. A sequência de assassinatos assustou a capital Goiânia e arredores, especialmente devido ao boato de que havia um serial killer na cidade, autor dos homicídios.

Galeria de Fotos Boato de serial killer assusta Goiânia Veja Fotos
Eleições nos EUA
As últimas pesquisas, notícias e análises sobre a disputa presidencial em 2020, pela equipe do HuffPost