COMPORTAMENTO
18/08/2014 19:12 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:52 -02

Celebridades brasileiras aderem ao 'Ice Bucket Challenge' e tomam banho de gelo nas redes sociais

Reprodução/Instagram

Na tarde desta segunda-feira (18), Neymar, Gisele Bündchen, Valesca Popozuda, Fátima Bernardes, Luciano Huck, Angélica e outras celebridades brasileiras se uniram para promover um bem comum. Cada um deles entrou no chamado “The ALS Ice Buckett Challenge” (Desafio do Balde de Gelo da Associação ALS, em tradução livre).

O desafio, que consiste em despejar um balde de gelo e água sobre si mesmo, está causando furor nas redes sociais. E tudo isso para ajudar a ALS Association a bater recorde de arrecadação de doações para patrocinar pesquisas sobre a cura da Esclerose Múltipla Amiotrófica, também conhecida como Doença de Lou Gehrig.

A campanha, que começou no dia 29 de julho nos EUA, ganhou o mundo. As celebridades brasileiras, claro, não poderiam ficar de fora. Segundo a ALS, o valor arrecadado pela campanha já chegou a R$ 22 milhões (US$ 9 milhões de dólares).

LEIA MAIS:

- Desafio do gelo: em lembrança a marido morto em acidente de carro, viúva começa corrente para pedir justiça (VÍDEO)

Além dos doadores regulares, cerca de 146 mil pessoas fizeram sua primeira doação após o "viral" entre famosos na internet. As informações são da ABC News.

Quem aceita o desafio, além de doar uma quantia em dinheiro para a instituição, ganha a oportunidade de desafiar outras três pessoas a fazerem o mesmo. E assim a corrente segue crescendo pelo mundo.

Recentemente, o Facebook divulgou que mais de 1.2 milhão de vídeos relacionados ao desafio já foram publicados no site.

E, inclusive, Mark Zuckerberg foi um dos que participaram do desafio e teve a ousadia de desafiar Bill Gates, que não hesitou em entrar na corrente. Assista aos vídeos aqui e aqui. De acordo com a empresa de Zuckerberg, o viral teria começado na cidade de Boston e se espalhado pelo mundo

Como começou?

O banho de água com gelo é comum entre os jogadores de baseball para comemorar uma grande vitória ou um título. Peter Frates, ex-jogador da categoria, foi diagnosticado com ALS (Esclerose Lateral Amiotrófica) em 2012 e atualmente, pouco mais de dois anos depois, não consegue mais andar e se comunica com ajuda de aparelhos.

Foi esta história que inspirou a campanha e que ajudou a divulgá-la em todo o mundo para levantar fundos e conscientizar as pessoas sobre a doença. Também conhecida como Doença de Lou Gehrig, este tipo de esclerose e neurodegenerativa, progressiva, e afeta as células nervosas do cérebro e da medula espinhal. No Brasil a doença tem o nome em português de esclerose lateral amiotrófica (também conhecida pela sigla ELA).

O dinheiro arrecadado pela ALS Association é usado para garantir apoio a portadores da doença e suas famílias e sustentar um programa global de pesquisa focado na descoberta de novos tratamentos.