NOTÍCIAS
15/08/2014 14:41 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:52 -02

Ku Klux Klan levanta dinheiro para premiar policial que matou adolescente negro nos EUA

PULASKI, TN - JULY 11:  Members of the Fraternal White Knights of the Ku Klux Klan participate in the 11th Annual Nathan Bedford Forrest Birthday march July 11, 2009 in Pulaski, Tennessee. With a poor economy and the first African-American president in office, there has been a rise in extremist activity in many parts of America. According to the Southern Poverty Law Center in 2008 the number of hate groups rose to 926, up 4 percent from 2007, and 54 percent since 2000. Nathan Bedford Forrest was a lieutenant general in the Confederate Army during the American Civil War and played a role in the postwar establishment of the first Ku Klux Klan organization opposing the reconstruction era in the South.  (Photo by Spencer Platt/Getty Images)
Spencer Platt via Getty Images
PULASKI, TN - JULY 11: Members of the Fraternal White Knights of the Ku Klux Klan participate in the 11th Annual Nathan Bedford Forrest Birthday march July 11, 2009 in Pulaski, Tennessee. With a poor economy and the first African-American president in office, there has been a rise in extremist activity in many parts of America. According to the Southern Poverty Law Center in 2008 the number of hate groups rose to 926, up 4 percent from 2007, and 54 percent since 2000. Nathan Bedford Forrest was a lieutenant general in the Confederate Army during the American Civil War and played a role in the postwar establishment of the first Ku Klux Klan organization opposing the reconstruction era in the South. (Photo by Spencer Platt/Getty Images)

A Ku Klux Klan (KKK) está levantando dinheiro para um policial que atirou e matou um garoto negro desarmado, de acordo com uma organização de direitos civis nos Estados Unidos.

O blog do Southern Poverty Law Center's Hate Watch (SPLCHW) reportou que a célula de Missouri do Klan está levantando fundos como uma "recompensa" para o policial Darren Wilson por ter atirado em Michael Brown, 18.

A SPLCHW disse ter tido acesso a um email do New Empire Knights, ramal do Ku Klux Klan na Carolina do Sul, que dizia: "Estamos providenciando uma recompensa para o policial que atirou nesse marginal".

"Ele é um herói! Precisamos de mais policiais brancos que sejam anti-Zog e que queiram colocar esses pretos marginais controlados pelos judeus em seus lugares. A maior parte dos policiais é covarde e não faz nada, enquanto 90% dos crimes interraciais são cometidos por pretos, em brancos", continuava a mensagem.

Zog é a sigla para Zionist Occupation Government, uma delirante teoria conspiratória que prega que os judeus, secretamente, governam países usando os chefes de Estado como fantoches.

O grupo disse ao HuffPost UK que a KKK está se aproveitando da erupção social causada pela morte de Brown.

O QUE ACONTECEU?

No último sábado (9), Michael Brown, um adolescente negro de 18 anos, andava pelas ruas de Ferguson, pequeno subúrbio de St.Louis, no Missouri, quando um policial chamou sua atenção.

Brown, suspeito de ter roubado uma loja de conveniência, ergueu as mãos para o o alto antes de tomar vários tiros do policial e morrer.

Em seguida, protestos começaram a tomar conta da cidade. Discussões sobre o racismo da polícia pipocaram pela internet.

Veja cenas dos protestos gravados pelo New York Times


Cenas de violência policial contra os manifestantes foram direto para a primeira página dos jornais americanos, e repórteres do Huffington Post e do Washington Post foram presos durante as manifestações, e a equipe da Al Jazeera foi atingira por bombas de gás.