NOTÍCIAS
14/08/2014 17:56 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:52 -02

Morte de Eduardo Campos: PSB indica que terá candidatura própria, mas segue ‘conselho de Caetano Veloso' e pede tempo

Reprodução/Instagram

Políticos ligados ao PSB deram sinais de que a candidatura à Presidência, até então encabeçada pelo líder do partido, Eduardo Camposmorto em um acidente aéreo nesta quarta-feira (13) em Santos (SP) – será mantida. O movimento, que parece o mais lógico neste momento, ainda não é oficial, mas foi indicado primeiramente por senadores da sigla.

Em nota assinada pelos senadores do PSB Rodrigo Rollemberg (DF), Antonio Carlos Valadares (SE), João Capiberibe (AP) e Lídice da Mata, os parlamentares pregaram a continuidade na luta “por um novo Brasil” como melhor forma de homenagear Campos nestas eleições. O grupo, porém, não sugere um nome para ser alçado à cabeça da coligação do partido.

Em visita ao governador Geraldo Alckmin (PSDB) em São Paulo, o atual governador de Pernambuco, João Lyra (PSB), reforçou a postura dos colegas senadores, dizendo nesta quinta-feira (14) que a tendência é pela candidatura própria, descartando assim a possibilidade de desistir do pleito, apoiando assim uma das demais candidaturas ou ainda permanecendo neutro.

“Temos convicção e absoluta certeza de que o PSB vai encontrar o melhor caminho para suceder Campos (...). Essa é a tendência: de ter candidato próprio e deve se confirmar. Não posso adiantar absolutamente nada em relação a isso, porque depende das conversações que vamos iniciar a partir de agora”, comentou Lyra aos jornalistas presentes no Palácio dos Bandeirantes, sede do governo paulista.

Assim como os senadores peesebistas, o governador de Pernambuco não lançou nenhum nome, embora tenha reconhecida que a vice na chapa, Marina Silva, é “sem dúvida” um grande nome, mas relembrou que o partido “vai amadurecer essa decisão”. Em nota oficial, também divulgada nesta quinta-feira, o diretório nacional do PSB reforçou essa posição de aguardar um pouco mais.

Coincidentemente, é exatamente isso que o cantor Caetano Veloso sugeriu. Em sua página no Facebook, o artista relembrou a amizade que tinha com Campos e afirmou que “a hora é de luto”.

Na sua casa, na zona sul de São Paulo, Marina Silva também aguarda um desfecho, mas não deve se pronunciar antes do velório e enterro de Campos, previsto para o fim de semana em Recife. O que se sabe, por ora, é que uma longa negociação deverá movimentar os bastidores do PSB, já que desde o início da aliança entre Campos e Marina, ainda no ano passado, foram registrados embates e discordâncias, mais notadamente envolvendo alianças estaduais.

(Com Estadão Conteúdo)

LEIA TAMBÉM

- Irmão de Eduardo Campos defende candidatura de Marina à Presidência no lugar de Eduardo

- Ideais do meu pai são futuro do Brasil, diz João Campos

- Morte de Eduardo Campos: saiba quais são as 6 perguntas ainda sem resposta após queda de avião