MUNDO
10/08/2014 17:28 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:45 -02

Ucrânia diz que não haverá cessar-fogo até que separatistas se rendam

KIEV/DONETSK (Reuters) - Bombardeios atingiram os arredores da cidade ucraniana de Donetsk neste domingo, enquanto forças governamentais ampliaram seu cerco contra o reduto rebelde e pediram que os

Sergei Karpukhin/REUTERS

Bombardeios atingiram os arredores da cidade ucraniana de Donetsk neste domingo (10), enquanto forças governamentais ampliaram seu cerco contra o reduto rebelde e pediram que os separatistas pró-russos se rendam.

No leste de Donetsk, as forças governamentais e os separatistas lutavam pelo controle da cidade de Krasny Luch, uma junção de ferrovia e estrada por meio da qual Kiev afirma que os rebeldes estão recebendo fornecimentos de equipamentos militares russos.

As conversas para um cessar-fogo, uma possibilidade levantada por um líder separatista no sábado (9), evaporou enquanto as forças do governo de Kiev mantiveram uma ofensiva para reprimir os rebeldes.

O porta-voz do Exército ucraniano, Andriy Lysenko, disse que se os rebeldes quiserem o cessar-fogo, isso significaria erguer a "bandeira branca" e se render.

Não haverá trégua enquanto o exército ucraniano continuar com sua ação militar "punitiva", disseram os rebeldes em comunicado.

LEIA MAIS:

- Soldado russo posta selfies no Instagram a partir de territórios do leste da Ucrânia

Donetsk, uma cidade industrial de língua russa no leste da Ucrânia, registrou bombardeios em seus arredores por cerca de oito horas até o meio-dia deste domingo, disse uma testemunha à Reuters.

No distrito Putilovka, ao norte da cidade, um prédio de escritórios da empresa de telecomunicações Ukrtelecom foi atingido, aparentemente por um bombardeio.

Fechando o cerco

Lysenko disse que nas últimas 24 horas, os militares "continuaram com operações ofensivas de sucesso, consideravelmente fechando o cerco na capital de Donbass, Donetsk". Ele acrescentou: "os rebeldes separatistas estão em pânico e no meio do caos. Há diversos casos de deserção entre os terroristas."

Nem o porta-voz do Exército ucraniano nem os rebeldes deram indicações de mortes nos confrontos durante o fim de semana.

Um comunicado na página do Facebook de um comandante rebelde, Igor Girkin, conhecido como Strelkov ("o atirador"), disse: "eles bombardearam a manhã toda. Houve explosões, algumas perto, outras mais distantes. Há notícias chegando por telefone o tempo todo. Agora há pouco, tivemos um incêndio perto do hospial número 18, uma mulher morreu."

Acusando os ucranianos de manter operações "punitivas" que colocam em perigo a população de Donetsk e ameaçam uma catástrofe humanitária, um comunicado rebelde disse posteriormente: "enquanto o Exército ucraniano continuar a ação militar, não haverá cessar-fogo."

A Ucrânia e seus aliados ocidentais acusam a Rússia de orquestrar a revolta separatista iniciada em abril, depois da anexação russa da península da Crimeia, na Ucrânia. Dizem que a Rússia está fornecendo tanques e sistemas de mísseis aos rebeldes, que declararam repúblicas populares independentes em duas das principais regiões industriais. Moscou nega envolvimento.

(Por Richard Balmforth e Sergei Karpukhin)

Eleições nos EUA
As últimas pesquisas, notícias e análises sobre a disputa presidencial em 2020, pela equipe do HuffPost