NOTÍCIAS
05/08/2014 12:02 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:45 -02

Artistas palestinos convertem bombardeios israelenses em arte como sinal de rebeldia (FOTOS)

Tawfik Abed el Rahman Gebreel

A Faixa de Gaza sangra há semanas na ofensiva do Exército de Israel. Já morreram mais de mil civis, dos quais centenas eram crianças, e os bombardeios já deixaram mais de 7.000 feridos.

Em sinal de rebeldia, vários artistas palestinos decidiram enxergar mais além da fumaça que se eleva dos pontos de impacto dos mísseis. Eles convertem as fotos dos bombardeios em trabalhos distribuídos pela internet em que as nuvens de destruição ganham forma.

“A ideia é transformar as cenas das explosões em linhas de desenho que formam perfis de rostos humanos, como sinal de desafio e determinação diante da agressão de Israel”, diz Tawfik Abed el Rahman Gebreel, arquiteto palestino de 27 anos, em declarações dadas ao Huffington Post da Espanha “Quero desabafar a dor que está no meu coração e ajudar a resistir aos crimes dos invasores através da arte e da criatividade.”

“A finalidade é mitigar o sofrimento dos cidadãos e inspirar esperança, além de transmitir uma mensagem humanitária em uma língua universal que não requer intérpretes e é entendida por todos os povos. Espero poder expor minhas obras em outros países e mostrar o sofrimento do povo palestino para que o mundo saiba que a Faixa de Gaza sofre constantes e brutais agressões terroristas.”

Outra artista palestina, Bushra Shanan, 25 anos, contou ao jornalista Rahma Mahmoud, do The Times of Israel, que, quando viu a fumaça que sobe dos edifícios destruídos das fotos, enxergou “os rostos das pessoas” que tinham morrido no ataque. Por isso decidiu editar a imagem e mostrar os rostos de 12 bebês em meio à fumaça.

Shanan explicou que começou este projeto porque os combates em Gaza geram uma sensação de impotência. Ela quis usar seus conhecimentos de desenho gráfico para transmitir uma mensagem ideológica e expressar as dificuldades dos palestinos. “Quero chamar a atenção ao que está acontecendo em Gaza, especialmente a atenção das pessoas no exterior, que provavelmente não sabem nada do que está acontecendo”, declarou.

O fotógrafo Bilal Khalid, 23 anos, que mora na França, concorda. “Este estilo de desenho é uma mensagem de que a população de Gaza não pode ser silenciada sob circunstância alguma. Desejamos a paz para todos e amamos a vida.”

Khalil se considera o primeiro que iniciou esta corrente. Diz que ganhou muitos seguidores graças a seus desenhos, “porque eles são uma arma antimísseis contra os disparos de Israel”, uma mensagem transmitida “na linguagem do amor e da paz, não da guerra”.

Galeria de Fotos Arte em bombas Veja Fotos