NOTÍCIAS
31/07/2014 14:05 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:43 -02

Após polêmica sobre 'elite branca', dona do Coffee Lab Isabela Raposeiras reclama de falta de água em São Paulo

Envolvida em polêmica no mês passado ao declarar que há preconceito contra a “elite branca” brasileira por parte dos líderes do PT, a empresária Isabela Raposeiras, dona da cafeteria Coffee Lab, desta vez mirou em um dos pontos fracos do Governo Alckmin: a falta de água em São Paulo.

Nesta quarta (30), Isabela postou nas redes sociais reclamando de falta de água na Vila Madalena, onde fica seu café. O primeiro tweet foi postado por volta das 19h e cobrou uma resposta da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) sobre o problema.

No Facebook, o café também postou foto informando da falta de água.

No final da noite, a empresária afirmou não ser contrária ao racionamento de água (que oficialmente ainda não foi admitido pela Sabesp e o governador), mas cobrou planejamento do governo paulista para não prejudicar os negócios.

Em seguida, o café disse que a água havia voltado e que funcionaria normalmente na quinta-feira (31), de 10h às 20h. Hoje às 9h30, novo tweet mostrou que o problema não estava 100% resolvido, mas o estabelecimento conseguiu abrir as portas.

Outros bares e restaurantes também ficaram sem água na região da Vila Madalena entre terça e quarta-feira. Na padaria Le Pan Quotidien, na Rua Wizard, faltou água das 17h de terça-feira até a noite de ontem. A loja contratou um caminhão pipa, mas a solução não foi suficiente e tiveram de fechar de novo no final da tarde. De acordo com o gerente Eduardo Godoi, a Sabesp não deu explicações. “Ligamos de manhã e a companhia falou que estava sem ocorrência na região, mas na verdade vizinhos também estavam sem água nos prédios”.

No restaurante Alternativa, na rua Fradique Coutinho, a falta de água foi no mesmo horário, o que não permitiu que o local abrisse para o almoço. O gerente Wilson Araújo reclamou da falta de informação da Sabesp. Quando ligou na companhia na quarta-feira de manhã, foi informado de que não sabiam do problema. “Não teve nenhum tipo de aviso”. Depois um fiscal foi ao local e informou que o problema era na região e que a previsão era de que a situação se normalizasse a noite. É a primeira vez que falta água em ambos os estabelecimentos nos últimos meses, mas Wilson já mostra preocupação com possível racionamento no futuro. “ Vou ter de rever nosso conceito, mudar a caixa d’água porque não posso ficar fechado por falta de água”. Em nota, a Sabesp informou que o problema foi causado por obras de reparo de uma rede de distribuição.

Na terça-feira, o Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) enviou uma carta à Agência Reguladora de Saneamento e Energia de São Paulo (Arsesp) afirmando que há evidências de racionamento de água em São Paulo. O órgão investiga suspeita de que a Sabesp tem feito rodízio noturno ao reduzir a pressão de água na rede desde o fim de abril. O Idec informou ter recebido 494 relatos de cortes no abastecimento entre os dias 26 de junho e 28 de julho, média de 14 por dia. EM 74% dos casos, a falta de água ocorreu durante noite.

Uma no cravo, outra na ferradura

No dia 16 de junho, Isabela Raposeiras publicou em sua conta pessoal no Facebook um post afirmando que o comentário do ex-presidente Luiz Luiz Inácio Lula da Silva foi preconceituoso ao classificar as pessoas que vaiaram e xingaram Dilma Rousseff na abertura da Copa do Mundo como “elite branca”. A postagem foi compartilhada 177 vezes. A expressão causou polêmica e passou a circular tanto na web quanto fora. Em entrevista à Veja, a empresária afirmou se sentir revoltada com a declaração por acreditar que mesmo quem tem acesso aos ingressos para o mundial é trabalhor. “Me revoltei quando vi nosso ex-presidente se referir de forma jocosa a pessoas que trabalham e que por isso têm dinheiro para comprar os ingressos da Copa. As pessoas que estavam nos estádios são muito trabalhadoras”.

Agora, Isabela mostra que também tem críticas à gestão da água pelo Governo Geraldo Alckmin, do PSDB.

LEIA TAMBÉM

Sabesp descarta racionamento, mas técnicos são unânimes sobre necessidade de reduzir consumo