NOTÍCIAS
30/07/2014 11:25 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:43 -02

Jogadores do San Lorenzo usarão Viagra para atenuar efeitos da altitude de La Paz

ASSOCIATED PRESS
This undated photo provided by pfizer shows a real Viagra pill on top of counterfeit pills. In a first for the drug industry, Pfizer Inc. told The Associated Press on May 6, 2013, that it will sell erectile dysfunction pill Viagra directly to patients on its website. (AP Photo/pfizer, William Vazquez)

O San Lorenzo, clube argentino cujo torcedor mais ilustre é o Papa Francisco, está muito próximo de chegar a sua primeira final de Libertadores. Depois de vencer o Bolivar por 5 a 0, na partida de ida, disputada em Buenos Aires, o clube portenho enfrenta nesta quarta-feira o rival boliviano, na altitude de La Paz. Além da vantagem de cinco gols adquirida na primeira decisão, os argentinos contarão com outra arma para suavizar os efeitos negativos dos 3600 metros de altitude, e avançar à decisão: cápsulas de Viagra.

O medicamento, utilizado em tratamentos de disfunção erétil, é um vasodilatador, que potencializa a oxigenação do sangue e aumenta o fluxo sanguíneo aos tecidos corporais, fazendo com que os efeitos da altitude sejam minimizados. Não sendo considerado doping, o uso Viagra pode ser uma medida eficaz para driblar as consequências negativas da prática esportiva em La Paz, cujo ar rarefeito dos 3.600 metros de altitude, faz com que haja menos oxigênio na atmosfera, dificultando a respiração dos atletas seja dificultada.

Segundo o diário esportivo argentino Olé, a medida já foi usada pelo clube nesta Libertadores, na partida contra o Independiente de Valle, em Quito, em partida válida pela primeira fase da competição, quando foi registrado um empate em 1 a 1.

Resta saber se tanta excitação em campo, na partida da noite desta quarta-feira, será convertida em gols. O destino dos atletas após a partida também será uma incógnita: voltarão os jogadores, naquele estado de espírito, ao marasmo do hotel onde está concentrada a equipe na capital boliviana?