NOTÍCIAS
28/07/2014 20:20 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:43 -02

Filósofo russo, Bakunin figura em autos da Polícia Civil do Rio como organizador de ações violentas em protestos

Nadar via Getty Images
Mikhail Alexandrovich Bakunin, the father of Russian nihilism. (Photo by Nadar/Getty Images)

Bakunin está entre nós! Segundo a Polícia Civil do Rio de Janeiro, inclusive, ele é um dos suspeitos de ter participado de atos violentos durante protestos recentes.

Segundo matéria publicada nesta segunda-feira pelo jornal Folha de S. Paulo, uma professora universitária carioca, suspeita pela Polícia Civil de ser uma das organizadoras de ações violentas em protestos na capital fluminense, teria utilizado o nome do filósofo russo Mikhail Bakunin em um telefonema interceptado pela investigação da Polícia. A partir daí, o filósofo passou a figurar como um dos participantes dos protestos considerados violentos pela polícia.

Tudo estaria bem, não estivesse Bakunin morto desde o século XIX.

Segundo a professora, que estava presa e teve liberdade provisória concedida pela justiça, o processo com mais de duas mil páginas aberto pela Polícia Civil do Rio de Janeiro contra 23 participantes de protestos é uma "obra de literatura fantástica de má qualidade".

Leia a história completa na Folha de S. Paulo.