NOTÍCIAS
28/07/2014 10:25 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:43 -02

Caixa-preta revela que 'explosiva descompressão maciça' derrubou avião, diz fonte em Kiev

KIEV (Reuters) - Análises da caixa-preta com os dados de voo do avião malaio derrubado mostram que foi destruído por estilhaços vindos da explosão de um foguete e caiu devido a "grande descompressão

REUTERS/Sergei Karpukhin

KIEV (Reuters) - Análises da caixa-preta com os dados de voo do avião malaio derrubado mostram que foi destruído por estilhaços vindos da explosão de um foguete e caiu devido a "grande descompressão explosiva", disse uma autoridade do setor de segurança da Ucrânia nesta segunda-feira.

O porta-voz do Conselho de Segurança da Ucrânia, Andriy Lysenko, declarou em entrevista à imprensa em Kiev que a informação foi dada por peritos que analisam os registros de voo do avião derrubado em território sob controle dos separatistas no leste da Ucrânia, em 17 de julho.

A Grã-Bretanha está encarregada de baixar os dados das duas caixas-pretas recuperadas no local do desastre e entregar a informação para investigadores internacionais que farão a análise.

Nesta segunda, a comissária da ONU para os Direitos Humanos, Navi Pillay, disse que a derrubada do avião pode ser considerada um crime de guerra: "Esta violação da lei internacional, dadas as circunstâncias, pode ser considerada um crime de guerra", declarou Pillay, que pediu uma investigação meticulosa, efetiva, independente e imparcial sobre o ocorrido. Segundo a ONU, os combates entre o Exército ucraniano e os separatistas pró-russos no leste do país já teriam deixado mais de 1.100 mortos desde abril.

LEIA TAMBÉM

As últimas horas das vítimas do voo MH17 são de cortar o coração

Apesar dos pedidos internacionais para que investigadores internacionais tivessem amplo e total acesso ao local da queda, pelo menos três civis foram mortos durante a noite de domingo para segunda-feira enquanto tropas do governo em Kiev intensificavam sua campanha contra rebeldes pró-Rússia, tomando o controle de uma estratégica área perto de onde o voo MH17 da Malaysia Airlines caiu, disseram autoridades nesta segunda-feira.

Pesados confrontos nas imediações do local do desastre impediram que monitores internacionais chegassem ao local no domingo para investigar a derrubada do avião.

Líderes ocidentais dizem ser praticamente certo que os separatistas abateram o avião por engano, usando mísseis terra-ar fornecido pelos russos. A Rússia acusa Kiev de responsabilidade pela derrubada.

O governo ucraniano afirmou nesta segunda-feira que suas tropas recapturaram o controle de Savur Mogila, uma localidade estratégica a 30 quilômetros de onde o Boeing da Malaysia Airlines caiu em 17 de julho, com 298 pessoas a bordo.

Os peritos vão tentar retomar seus esforços nesta segunda para chegar ao local da queda, ainda em território sob controle rebelde. Bloqueios de estrada entre a cidade de Donetsk e o local são controlados ora pelo Exército ucraniano, ora pelas forças separatistas, que acusam uns aos outros de impedirem o acesso dos peritos à área.

Galeria de Fotos Queda do Avião da Malaysia Airlines Veja Fotos