NOTÍCIAS
25/07/2014 15:53 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:43 -02

Polícia de MG encerra buscas sem encontrar corpo de Eliza Samúdio, ex-amante do goleiro Bruno (VÍDEOS)

A Polícia Civil de Minas Gerais encerrou, no início da tarde desta sexta-feira (25), as escavações em um terreno próximo ao Aeroporto de Confins, na Grande Belo Horizonte. No local estariam os restos mortais de Eliza Samúdio, ex-amante do goleiro Bruno Fernandes, conforme indicações dadas pelo primo do jogador, Jorge Rosa Sales, em entrevista à Rádio Super Tupi do Rio de Janeiro nesta quinta-feira (24).

O delegado Wagner Pinto, chefe do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), explicou que, após quase três horas de trabalhos, nada relevante foi encontrado no local. “Objetos encontrados não têm nenhuma relevância para a investigação. Está encerrada a busca efetivamente feita no local”, disse ao jornal O Estado de Minas.

De acordo com o jornal O Dia, o fim das buscas foi um pedido de Sales, mas o jovem contestou a informação. “Eu pedi para parar de cavar, pois estava cavando num local que não era indicado por mim”, afirmou, ainda no local.

A polícia, segundo o delegado, tinha a obrigação de realizar as buscas, baseando-se no novo depoimento prestado por Sales e que, para os policiais, apresentava indícios procedentes. As buscas começaram por volta das 10h desta sexta-feira, no terreno localizado no bairro Santa Clara, em Vespasiano (MG). Tudo foi acompanhado de perto pelo primo de Bruno e o seu advogado, Nélio Andrade.

Com o auxílio de uma retroescavadeira e embaixo de muita chuva, foram encontrados uma luva, um calçado e um terceiro objeto, aparentemente um outro calçado. Ao G1, Andrade explicou que o sentimento de Sales era de frustração ao final dos trabalhos. “O sentimento dele é de frustação. Mais do que ninguém ele queria encontrar [o corpo]. O que faria ele a se expor se não estivesse convicto?”, afirmou, dizendo ainda que o rapaz segue com a convicção que o corpo de Eliza está no local indicado.

O advogado do primo de Bruno ainda comentou que a polícia deixou em aberto a possibilidade de usar um novo equipamento para rastrear o solo. A informação não foi confirmada pelos policiais no local. Sales seguiu para o DHPP, onde prestaria novos esclarecimentos. A tendência é que o jovem seja escoltado por policiais de volta ao Rio ainda nesta sexta-feira.

Na quinta-feira, Sales garantiu que sabia onde estava o corpo de Eliza e que resolveu “falar a verdade” apenas agora – após ter mudado várias vezes a sua versão perante à polícia e na Justiça – após “pensar muito” e por “querer que a mente fique tranquila”.

Eliza Samúdio foi morta em 2010. Apontado como mandante do assassinato, Bruno foi condenado a 22 anos e três meses de prisão. A tese da acusação era de que o ex-goleiro do Flamengo tramou a morte da ex-amante para não pagar pensão ao filho que era esperava – e que hoje está com quatro anos de idade. Desde junho deste ano Bruno está preso na Penitenciária de Segurança Máxima de Francisco Sá, no norte de Minas Gerais.

Além de Bruno, foram condenados pelo crime o ex-policial civil Marcos Aparecido dos Santos, o Bola, e Luiz Henrique Romão, o Macarrão – então secretário pessoal de Bruno.

LEIA TAMBÉM

- Goleiro Bruno tem direito a sair da prisão para jogar futebol?

- Em entrevista exclusiva a Revista Placar, ex-goleiro Bruno revela ter tentado o suicídio na cadeia