COMPORTAMENTO
24/07/2014 18:28 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:43 -02

Perder a virgindade é hoje uma experiência melhor que há 20 anos (PESQUISA)

Divulgação/Universal Pictures

Como foi a sua "primeira vez"?

A pergunta é um tanto pessoal, mas as respostas podem ser bem comuns: medo, ansiedade, culpa... Pois estes sentimentos em relação à primeira relação sexual têm os dias contatos. Um estudo da Universidade de Illinois publicado na mais recente edição do Journal of Sex Research mostra que, hoje, os jovens sabem lidar melhor tanto com a ansiedade anterior à primeira relação sexual quanto com o (possível) sentimento de culpa posterior a ela.

O estudo durou mais de duas décadas — de 1990 a 2012 — e teve a participação de 5.769 estudantes universitários de ambos os sexos. Os resultados mostram que os homens ainda "experimentam mais prazer e ansiedade que as mulheres", mas que "a ansiedade diminuiu no decorrer das três décadas."

Dra. Susan Sprecher, professora de sociologia e antropologia da instituição e autora do estudo, explica:

Há diversas razões para a diminuição da ansiedade na primeira relação sexual, incluindo o fato de que, talvez, os homens atualmente estejam menos dispostos que os homens dos anos 1980 e 1990 a ter a primeira relação sexual como um rito de passagem e, portanto, um estigma a ser quebrado, motivo que possivelmente foi associado à ansiedade da performance.

Às mulheres, acostumadas a experimentar "mais culpa que os homens", a primeira relação sexual é hoje mais prazerosa e com menos culpa.

Como a primeira relação sexual tem se associado a estar em um contexto de relacionamento, é mais provável que ela seja precedida pela intimidade em progressão. Isso explica por que o prazer das mulheres aumentou no decorrer do tempo, enquanto a culpa diminuiu. Outro motivo para a diminuição da culpa é, de forma geral, a redução da regulação social da sexualidade feminina e o aumento na mídia dos modelos femininos relacionados à sexualidade.