NOTÍCIAS
18/07/2014 16:38 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:42 -02

Obama afirma que avião da Malaysian Airlines foi atingido por míssil (VÍDEOS)

Larry Downing/REUTERS

O presidente Barack Obama afirmou hoje (18) que o avião que caiu ontem na Ucrânia foi atingido por um míssil lançado da região leste do país, que é dominada por rebeldes separatistas pró-Rússia. Ele também classificou o incidente como uma "tragédia global" e reafirmou a necessidade de um cessar-fogo na região.

Obama acusou de que Vladimir Putin apoia os separatistas enviando armamentos e oferecendo treinamento militar, conforme publicado na Folha de S.Paulo.

"Não é possível que os separatistas operem como operam e tenham o equipamento que têm, independentemente do que houve com o avião da Malaysia. Um grupo de separatistas não pode derrubar um avião militar e um jato de combate sem treinamento, e isso está vindo da Rússia"

A região leste tem sido palco de bombardeios nas últimas semanas, desde que o governo da Ucrânia intensificou o combate aos separatistas.

Mais cedo, a enviada dos EUA ao Conselho de Segurança da ONU, Samantha Power, disse que tudo indica que o armamento utilizado para abater o avião tenha sido um míssil Buk, da era soviética.

"Por causa da complexidade técnica do [míssil] SA-11, é improvável que os separatistas possam ter efetivamente operado o sistema sem a ajuda de pessoal especializado"

Ontem, líderes separatistas já haviam afirmado que não tinham treinamento para manusear esse tipo de míssil.

Em contraponto, o embaixados Vitaly Churkin, embaixador enviado pela Rússia à sessão, ressaltou a importância de investigar se houve participação ucraniana no incidente.

"Para qualquer pessoa normal, uma pergunta aparece: por que [controladores] ucranianos enviaram um voo de passageiros a uma área de conflito militar – uma área que está sendo usada para atacar alvos civis?"

QUEIMA DE ARQUIVO

Segundo o jornal Guardian , os separatistas bloquearam o acesso de investigadores da OSCE (Organização para a Segurança e a Cooperação na Europa) à zona onde estão os destroços do avião, dando tiros para alertar que a presença da equipe não era bem-vinda.

Os separatistas também foram acusados de encobrir evidências que ligam as tropas pró-Rússia à queda do avião.

Postagens de sites ligados aos rebeldes foram apagadas. Entre elas, está um post no Twitter da autoproclamada República Popular de Donetsk publicado no último dia 29 que mostrava um sistema de mísseis semelhante ao utilizado para derrubar o avião apreendido de uma base ucraniana.

Fotos e vídeos que mostravam o transporte de um míssil Buk (igual ao que foi utilizado para derrubar o avião) em uma região próxima ao local da queda também foram deletadas, diz o jornal britânico.

Na tarde de hoje (18), a agência de inteligência da Ucrânia soltou outro áudio de um suposto telefonema entre separatistas. Ontem, uma gravação semelhante já havia sido postada.

Segundo a gravação, que foi divulgada no YouTube com legendas em inglês, os rebeldes falam sobre o transporte de um míssil Buk da Rússia para o leste da Ucrânia logo antes de o avião ser derrubado.

Mais cedo, nesta sexta-feira, o ministro do interior ucraniano postou outro vídeo no YouTube que ele diz ser um flagra do míssil sendo transportado para a fronteira da Rússia.

Nenhum dos vídeos divulgados pela Ucrânia tem autenticidade comprovada.