NOTÍCIAS
16/07/2014 18:26 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:42 -02

Justiça do Rio prorroga prisão de Sininho e outros quatro ativistas

José Pedro Monteiro / Estadão Conteúdo

O juiz Flávio Itabaiana, da 27ª Vara Criminal do Rio de Janeiro, acatou o pedido da Polícia Civil, nesta quarta-feira, e prorrogou por mais cinco dias a prisão temporária dos cinco ativistas presos no dia 12 de julho durante um protesto contra a Copa do Mundo na capital fluminense. Os manifestantes foram detidos por serem suspeitos de terem participado de atos de vandalismo.

Com a prorrogação da prisão, seguem detidos: Elisa de Quadros Pinto Sanzi, conhecida como Sininho e apontada pela polícia como líder do grupo; Tiago Teixeira Neves da Rocha; Eduarda Oliveira Castro de Souza; Camila Aparecida Rodrigues Jourdan e Igor Pereira D'Icarahy.

LEIA MAIS: Criminalização dos movimentos sociais: pesquisadores defendem que protestos de rua não têm formação de quadrilha

A delegada Renata Araújo foi a responsável pelo pedido de prorrogação da prisão. Outros 12 ativistas, que também haviam sido presos no dia 12 de julho e permanecem detidos no Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu, no Rio, devem ser liberados a qualquer instante, graças ao habeas corpus concedido pela Justiça do Rio, pelo desembargador Siro Darlan, da 7ª Câmara Criminal.

São eles: Rebeca Martins de Souza; Bruno de Souza Vieira Machado; Emerson Raphael Oliveira da Fonseca; Pedro Brandão Maia; Felipe Frieb de Carvalho; Felipe Proença de Carvalho de Moraes; Rafael Rego Barros Caruso; Gerusa Lopes Diniz; Gabriel da Silva Marinho; Karlayne Moraes da Silva Pinheiro; Joseane Maria Araujo de Freitas; Eloysa Sami Santiago.