NOTÍCIAS
10/07/2014 11:39 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:35 -02

Ficha suja, ex-governador José Roberto Arruda mantém candidatura a governador do Distrito Federal

ANDRÉ DUSEK/ESTADÃO CONTEÚDO

O ex-governador do Distrito Federal José Roberto Arruda já pode ser considerado ficha suja pela Justiça Eleitoral. Ele foi condenado em segunda instância pelo mensalão do DEM, esquema de corrupção descoberto em 2009 enquanto governava o DF. Ele foi o primeiro governador preso no País.

Nesta quarta-feira (9), a 2ª Turma Cível do Tribunal de Justiça do Distrito Federal manteve a condenação de Arruda por improbidade administrativa. Com essa segunda condenação, ele cai na Lei da Ficha Limpa e, em tese, não poderia concorrer às eleições deste ano. O político atualmente filiado ao PR tenta novamente ser governador do DF.

A defesa de Arruda diz que ele vai manter a candidatura, segundo a Folha de S. Paulo. Entende-se que, para valer para estas eleições, a condenação deveria ter ocorrido até o dia 5 de julho, prazo para registro dos candidatos.

Porém, o Ministério Público pode impugnar a candidatura, justamente aludindo à Lei da Ficha Limpa. A Procuradoria Regional Eleitoral deverá decidir se pede ou não a impugnação ainda nesta semana, informa o site da Veja.

A palavra final é do Tribunal Regional Eleitoral do DF.

Trajetória

Arruda é um político bastante conhecido dos brasilienses. Alguns episódios mancharam sua biografia. Foi preso pela Polícia Federal no exercício do cargo, em 2010, porque liderou o esquema conhecido como mensalão do DEM. Chegou a ser condenado por pagar propina a deputados da base aliada de seu governo. Vídeos gravados na época mostravam o esquema de corrupção.

Antes, como senador, em 2001, violou o sigilo do painel eletrônico do Senado e foi obrigado a renunciar.

Na campanha eleitoral do ano seguinte, pediu uma chance aos eleitores e foi o deputado federal mais votado do DF, sendo eleito com mais de 300 mil votos.

Em 2006, venceu a corrida ao GDF no primeiro turno com 50,38% dos votos.