NOTÍCIAS
10/07/2014 11:00 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:35 -02

Adeus ao jornalista argentino Jorge Luis López, apaixonado pelo jornalismo esportivo e morto em acidente insólito em São Paulo

Enquanto aqui no Brasil se falava insistentemente da tragédia do futebol brasileiro, uma morte em circunstâncias trágicas deixou em luto o mundo da bola e o jornalismo da Argentina.

O jornalista Jorge Luis López veio ao Brasil para cobrir a Copa do Mundo pelo Diario Olé, principal publicação de esportes argentina.

Sua trajetória como cronista esportivo foi encerrada antes de poder assistir à vitória da Argentina na partida contra a Holanda.

Na madrugada de quarta-feira (9), o repórter de 35 anos foi vítima de um "acidente automobilístico insólito, incrível, incompreensível" em São Paulo, conforme escreveu o Olé em editorial.

Depois de um dia de trabalho extenuante, Topo López, como era conhecido, estava voltando para o hotel. Havia tomado um táxi na área dos Jardins, zona sul da capital paulista.

Quando o táxi estava na Avenida Tiradentes, esquina com a Praça IV Centenário, foi atingido violentamente por outro veículo. Era um Nissan roubado por um trio de criminosos, que estava fugindo de policiais militares, segundo a agência Estadão Conteúdo.

O impacto lançou Topo para fora do carro. Ele morreu na hora.

O Olé ressaltou que Topo López "um trabalhador inquieto e incansável, um empreendedor que não tinha negativas, um jornalista extraordinário que conseguia abrir as portas mais fechadas com um sorriso nos lábios".

Com esse seu jeito iluminado, cativara fontes essenciais para conseguir, de dentro dos campos, informações em primeira mão.

Entre elas, o capitão da seleção argentina e craque Lionel Messi.

Foi a Topo que Messi dedicou a conquista da vaga da final ontem (10).

A tristeza tomou conta de técnicos e jogadores da seleção argentina e dos tradicionais clubes Boca Juniors e River Plate.

Todos enviaram notas de lamentos à família de Topo, incluindo o treinador da Argentina, Alejandro Sabella.

A esposa de Topo, Veronica Brunati, também é jornalista esportiva e, como ele, veio ao Brasil para cobrir o Mundial pelo Diario Marca.

Ela agradeceu o apoio recebido e frisou a paixão de Topo pelo jornalismo:

O 1º Distrito Policial de Guarulhos está investigando o caso.

Dois bandidos foram presos e devem ser indiciados por homicídio doloso, quando há a intenção de matar, além roubo e lesão corporal – por causa dos ferimentos do taxista.

O terceiro suspeito é adolescente e foi apreendido.

Topo López deixa mulher, três filhos e uma carreira brilhante no jornalismo.