NOTÍCIAS
08/07/2014 17:50 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:35 -02

Morte de Plínio de Arruda Sampaio: classe política lamenta perda nas redes sociais

Dida Sampaio/Estadão Conteúdo

O ex-deputado federal Plínio de Arruda Sampaio morreu na tarde desta terça-feira (8) em São Paulo. A informação foi confirmada pela assessoria de imprensa do Hospital Sírio-Libanês, onde o ex-parlamentar – que também foi candidato à Presidência da República em 2010 – estava internado desde maio deste ano, para tratar de um câncer ósseo.

Aos 83 anos, Sampaio teve falência múltipla dos órgãos em decorrência de uma pneumonia às 15h25 desta terça-feira, conforme informou ao jornal O Globo o filho mais velho do ex-deputado, Francisco de Azevedo Arruda Sampaio. A doença havia sido descoberta recentemente e o parlamentar inclusive teria apresentado melhora nos últimos dias.

No dia 26 deste mês, Sampaio completaria 84 anos. Em entrevista à colunista Mônica Bergamo, do jornal Folha de S. Paulo, em março deste ano, o ex-deputado havia dito que já tinha “cumprido o que tinha para cumprir”.

No Twitter e no Facebook, diversos integrantes da classe política lamentaram a morte do ex-parlamentar.

Trajetória de lutas

Advogado de formação, Plínio de Arruda Sampaio foi cassado pela ditadura militar, em 1964. Foi parlamentar na Câmara dos deputados em três ocasiões, incluindo na época da Assembleia Constituinte, em 1988. Mas a vida pública começou três décadas antes, quando ele atuou no governo de Carvalho Pinto em São Paulo.

Atualmente estava filiado ao PSOL, partido para o qual se filiou em 2005, após deixar o PT, sigla da qual foi um dos fundadores. Pelo PSOL, foi candidato à Presidência em 2010, quando ficou na quarta colocação, com 0,87% dos votos válidos (886 mil votos).