NOTÍCIAS
02/07/2014 09:36 -03 | Atualizado 26/01/2017 20:50 -02

Polícia usa bombas de efeito moral para dispersar argentinos na Vila Madalena, em São Paulo (FOTOS)

ALEX FALCãO/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

A festa argentina pela classificação da seleção de Messi e companhia para as quartas de final da Copa do Mundo não acabou bem na Vila Madalena, na zona oeste de São Paulo. A Polícia Militar lançou mão de bombas de efeito moral para dispersar os torcedores na madrugada desta quarta-feira (2), causando perplexidade em turistas que estavam no local.

De acordo com o jornal Folha de S. Paulo, cerca de 220 policiais e cem veículos se deslocaram para o bairro por volta da 1h50. A operação se desenrolou no acesso à rua Aspicuelta, ponto que vem concentrando os principais encontros de torcedores estrangeiros e brasileiros nesta Copa do Mundo na capital paulista.

Photo gallery PM dispersa argentinos em SP See Gallery


Ainda segundo o jornal, os torcedores, em sua maioria argentinos, se sentiram acuados pela operação – que incluía a limpeza e dispersão das pessoas que se aglomeravam na área – e dispararam rojões, o que gerou a resposta da PM com bombas de efeito moral. A ação teria sido motivada justamente por essa atitude dos estrangeiros, de acordo com o Major Franciscon, da PM.

A reportagem do Brasil Post entrou em contato com a Secretaria de Segurança Pública de São Paulo, para obter mais detalhes dessa operação e se outras podem acontecer até o final do Mundial na capital paulista. Por volta das 14h desta quarta-feira, a SSP enviou a seguinte nota sobre a operação:

A Polícia Militar esclarece que agiu, às 2h30 da madrugada desta quarta-feira, para dispersar torcedores que se recusaram a deixar as ruas da Vila Madalena, impedindo a realização da limpeza pública. Os bares já estavam fechados quando os policiais tentaram desimpedir uma das ruas fazendo um cordão de isolamento. Alguns torcedores exaltados reagiram arremessando pedras, garrafas e rojões. Neste momento, foi empregada uma granada de efeito moral para afastar os agressores. Foi executada a limpeza, serviço da Prefeitura que tem contado com o apoio da PM, para atender a reivindicação dos moradores do bairro. Não houve registro de torcedores e/ou policiais feridos.

Ao G1, a PM disse não ter o número de argentinos que estiveram na Vila Madalena após a partida, mas afirmou que não foram registradas depredações ou prisões durante a operação policial. À Folha, muitos turistas e até brasileiros que estavam no bairro reclamaram muito da truculência policial contra aqueles que festejavam no local.

"Não era aqui a festa da Copa? É assim que vocês lidam com os visitantes?", disse uma. "Bem que o governo americano nos alertou para a violência da PM", comentou outro.