COMPORTAMENTO
27/06/2014 16:24 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:52 -02

Neymar tenta censurar na Justiça Playboy com suposta ex na capa, mas revista continua à venda

Montagem/Getty Images/Playboy

Na última quarta-feira (25), a Justiça de São Paulo determinou que fosse suspensa a venda de exemplares da edição de junho da Playboy, que traz na capa a chamada "A morena que encantou Neymar" e uma foto da modelo Patrícia Jordane. Patrícia, de 21 anos, ficou conhecida por afirmar que manteve um breve relacionamento com Neymar — entre o réveillon e o carnaval de 2013, quando o craque assumiu o namoro com a atriz Bruna Marquezine.

De acordo com o G1, na última quarta-feira (25), a juíza Andréia Galhardo Palma, da 3ª Vara Cível de São Paulo, atendeu o pedido feito pela NR Sports, empresa que representa o jogador, e concedeu a liminar.

LEIA TAMBÉM

Neymar ensina filho a dar beijo nas meninas (BLOG)

A decisão prevê não apenas a suspensão da venda de novos exemplares, mas também o recolhimento de todos os exemplares da edição em bancas e demais pontos de venda. Também vetou a veiculação de qualquer meio publicitário relativo à revista deste mês. No caso de descumprimento da decisão, a multa é de R$ 10 mil ao dia.

O site oficial de Neymar publicou um comunicado e a decisão judicial. O texto diz:

"A editora, além de divulgar uma mentira sobre a vida pessoal do Neymar Jr, utilizou indevidamente o seu nome, ou seja, sem a autorização da NR Sports, empresa dos pais do atleta e única detentora dos direitos de exploração da imagem, nome e seus atributos."

Na noite de quinta-feira (26), a Playboy publicou uma nota na sua página no Facebook, que afirma: a revista ainda está à venda.

"Sobre a ação movida pelo jogador Neymar para retirar a edição de junho das bancas, Playboy informa que não recebeu qualquer notificação oficial. A revista continua disponível em bancas e supermercados do Brasil."

Por e-mail ao Brasil Post, Sergio Xavier, diretor da Playboy, explica que, antes da notificação oficial, não pode comentar o caso. "Ainda não fomos [notificados]. A liminar não chegou até nós. Por isso, a revista segue sendo vendida normalmente em todo o Brasil", diz. "É evidente que estamos preparando uma defesa para assegurar a circulação da revista."

De fato, a edição continua sendo vendida. A reportagem do Brasil Post encontrou a Playboy da Patrícia Jordane numa banca da Avenida Paulista. De acordo com o vendedor, não há orientação sobre o recolhimento dos exemplares.

Na internet, o cenário é outro: o site da Playboy, acessado no começo desta sexta-feira (27), não exibe imagem alguma da edição de junho. Apenas o site AssineAbril, que agrega as assinaturas das publicações da Editora Abril, traz a imagem de capa.

Galeria de Fotos (18+) Patrícia Jordane e a polêmica entre Neymar e Playboy Veja Fotos