NOTÍCIAS
27/06/2014 11:23 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:46 -02

Confusão entre PM e Polícia Civil quase terminou em tragédia na abertura da Copa, diz jornal

JF DIORIO/ESTADÃO CONTEÚDO

A presença de um policial militar em uma área proibida quase terminou em tragédia na abertura da Copa do Mundo, no último dia 12 na Arena Corinthians, onde jogaram Brasil e Croácia. A falha no sistema de segurança causou momentos de tensão e foi revelada em reportagem do jornal Folha de S. Paulo desta sexta-feira (27).

De acordo com a publicação, um atirador de elite pediu autorização para abater um homem armado que entrou em na tribuna onde estavam a presidente Dilma Rousseff, dirigentes da Fifa e chefes de Estado. A confusão se instalou e só foi evitada uma tragédia após a identificação da pessoa, que se trataria de um PM.

A Folha ainda informa que o incidente teria aberto uma crise entre policiais civis e militares que atuam na segurança da Copa, sobretudo em razão das versões divergentes para o episódio.

ATUALIZADO ÀS 14h45: A Secretaria de Segurança Pública de São Paulo (SSP) divulgou nota na tarde desta sexta-feira em que "reafirma que, no episódio envolvendo policiais paulistas durante a abertura da Copa, houve um erro de comunicação que foi rapidamente sanado, sem maiores consequências".

Confira a íntegra da nota abaixo:

A Secretaria da Segurança Pública reafirma que, no episódio envolvendo policiais paulistas durante a abertura da Copa, houve um erro de comunicação que foi rapidamente sanado, sem maiores consequências. Ao contrário do que vem sendo divulgado por alguns veículos de comunicação, em nenhum momento foi colocada em risco a segurança das autoridades e ou torcedores. Prova disso é que o protocolo para que o sniper pudesse atuar sequer foi colocado em prática.

Este protocolo pressupõe três etapas.

1. Autorização para o atirador carregar a arma, que por razões de segurança está desmuniciada.

2. Autorização para que o snipper coloque o alvo na alça de mira.

3. Autorização para atirar.

Nenhuma destas três etapas foi deflagrada porque o erro de comunicação foi rapidamente corrigido. Afirmar que quase houve morte nesta situação é causar alarmismo.

Leia a matéria completa na Folha de S. Paulo

LEIA TAMBÉM

- Craque da Copa 2014: quem será o Bola de Ouro do mundial do Brasil? (MATA-MATA)

- Definidos os confrontos das oitavas de final da Copa do Mundo