NOTÍCIAS
26/06/2014 09:29 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:45 -02

Greve de cobradores permite dia de ‘catraca livre' no transporte público de Curitiba

CLEBER YAMAGUCHI/ELEVEN/ESTADÃO CONTEÚDO

Uma greve de cobradores do transporte público da Grande Curitiba está permitindo um verdadeiro ‘catracaço’ nesta quinta-feira (26). A liberação das catracas se deu com anuência das autoridades locais, já que os motoristas de ônibus estão trabalhando normalmente. A categoria informa que a paralisação é por tempo indeterminado.

Segundo informações da Rádio CBN Curitiba, os motoristas e cobradores se reuniram no início da manhã nas garagens das empresas de ônibus para organizar o protesto, depois de uma reunião entre o Setransp (sindicato patronal), a Comec (Governo do Estado) e a Urbs (Prefeitura de Curitiba), realizada na tarde desta quarta-feira (25) no Tribunal Regional do Trabalho do Paraná (TRT-PR) terminar sem acordo.

Uma nova audiência no TRT-PR foi marcada para a sexta-feira, às 13h30.

Ao jornal Gazeta do Povo, o Sindicato dos Motoristas e Cobradores de Curitiba e Região Metropolitana (Sindimoc) estima que o prejuízo de um dia sem cobrança de passagem é de R$ 4 milhões a R$ 6 milhões. Já a Urbs preferiu não fazer estimativa porque esta quinta-feira (26) é um dia atípico por conta do jogo da Copa do Mundo em Curitiba.

Na internet, os internautas não parecem 'incomodados' em não pagar passagem nesta quinta-feira em Curitiba - cidade tida como dona de um transporte modelo no Brasil. E não faltou bom humor.

A ‘catraca livre’ foi algo tentado pelo Sindicato dos Metroviários de São Paulo, a fim de evitar a greve que durou cinco dias, no início deste mês. A possibilidade, apoiada por movimentos populares como o MPL, foi rechaçada pelo governador Geraldo Alckmin.