NOTÍCIAS
25/06/2014 21:15 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:45 -02

STF revoga decisão de Joaquim Barbosa e libera José Dirceu para trabalhar fora da prisão

ALEX SILVA/ESTADÃO CONTEÚDO

Ex-chefe da Casa Civil do primeiro mandato de Lula, o ex-ministro José Dirceuvai voltar a despachar em Brasília.

Nesta quarta-feira (25), o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu autorizá-lo a trabalhar fora da prisão.

O petista, que está preso no complexo penitenciário da Papuda, no Distrito Federal, vai trabalhar no escritório do advogado José Gerardo Grossi. Segundo a agência Estadão Conteúdo, ele receberá salário de R$ 2,1 mil mensais.

Os ministros do STF acolheram o recurso da defesa de Dirceu contra a decisão do presidente da corte, Joaquim Barbosa, que proibiu o político de trabalhar fora da prisão. O placar foi de nove votos a favor e um contrário.

A maioria do plenário entendeu que o preso no regime semiaberto não precisa cumprir pelo menos um sexto da pena para ter direito a trabalho externo. Para Barbosa, era necessário a Dirceu ter passado esse período preso até ser autorizado a dar expediente fora da Papuda.

O ex-ministro foi condenado a sete anos e 11 meses no regime semiaberto por corrupção ativa por seu envolvimento com o mensalão.

O presidente do STF e ex-relator do processo do mensalão não compareceu ao plenário nesta quarta-feira (25).

De acordo com o G1, ainda não há data prevista para o início dos trabalhos de José Dirceu fora da prisão.

Prisão domiciliar de Genoino

Os ministros do Supremo também julgaram o recurso da defesa do ex-deputado federal José Genoino, que pedia prisão domiciliar para ele. Mesmo sem Barbosa, o Supremo rejeitou o pedido.

Barbosa não compareceu ao julgamento por se declarar "impedido" para apreciar o recurso, uma vez que processou o advogado de Genoino por confusão ocorrida no Supremo.

A queda-de-braço entre Joaquim Barbosa e o advogado de José Genoino, Luiz Fernando Pacheco, foi um dos episódios de maior tensão na corte neste ano. Após sucessivas tentativas de Pacheco de pressionar a votação de recurso favorável a Genoino, no começo do mês, Barbosa mandou que ele fosse retirado do plenário do STF por seguranças.