NOTÍCIAS
25/06/2014 17:08 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:45 -02

Honda faz recall de 21 mil unidades de Civic e CR-V

Thinkstock

Um problema no sistema de airbag do passageiro levou a Honda do Brasil a anunciar hoje (25) a convocação dos proprietários de 20.908 unidades dos modelos Civic (de 2001 a 2003) e CR-V (2002 e 2003). O atendimento começa no dia 2 de julho. A lista dos números de chassis que devem ser atendidos está disponível na página da Honda.

De acordo com a Honda, o recall é uma continuação da campanha iniciada em 2013 para a substituição do insuflador de airbag dianteiro do passageiro. Na época, proprietários de 23.352 mil unidades dos mesmos modelos e anos foram convocados.

Em nota, a Honda afirma: "Em algumas unidades poderá ocorrer a ruptura da estrutura do insuflador caso o mesmo seja acionado em colisão frontal moderada ou severa, possibilitando a projeção de fragmentos na região interna do veículo e, em casos remotos, incêndio. O defeito ainda pode causar, em situações extremas, danos materiais e lesões graves ou até mesmo fatais aos ocupantes e/ou terceiros."

Ou seja, o airbag pode estourar e os estilhaços podem atingir passageiro e motorista.

O problema é similar ao apresentado no exterior. Nos Estados Unidos, há poucos dias, a Honda e outros fabricantes japoneses começaram um recall de mais de 3 milhões de unidades — número que coloca a campanha de recall entre as cinco maiores da história, de acordo com o Huffington Post.

O sistema de airbag utilizado pela Honda é fornecido pela Takata Corp. Nos últimos cinco anos, os airbags da fabricante japonesa de componentes automotivos levaram marcas a realizar recall de um total de 10,5 milhões de unidades.

Ao Huffington Post, um representante da Takata afirmou que era incerto o impacto financeiro do recall de 2014 — o de 2013 custou à companhia 300 milhões de dólares e deveria encerrar o problema dos airbags, percebido pela empresa em 2007 e relacionado com a morte de duas pessoas.

Além da Honda e de outros fabricantes japoneses (como Nissan e Mazda), marcas como Ford, Chrysler e BMW, que também contam com airbags Takata, estão realizando campanhas de recall regionais nos EUA, sobretudo em locais de alta umidade como Flórida, Hawaii e Ilhas Virgens. A maioria dos fabricantes não têm um número exato de unidades afetados pelos airbags defeituosos.

O Brasil Post tenta contato com outros fabricantes japoneses que atuam no Brasil para saber o posicionamento deles. Atualizaremos este post assim que tivermos uma resposta.

LEIA MAIS

- Ford fará recall do Fusion por problemas na caixa de direção

- Dar carro para os filhos pode ser erro sob ponto de vista da educação financeira, diz especialista