NOTÍCIAS
24/06/2014 11:42 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:45 -02

Lugano escreve carta emocionante pedindo união entre os uruguaios durante a Copa 2014

Laurence Griffiths/Getty Images

O capitão da seleção do Uruguai e zagueiro Diego Lugano fez um pedido a todos os uruguaios através do Facebook na noite de segunda-feira (23).

Lugano pediu a união de todos os uruguaios para dar força à Celeste na partida de hoje contra a Itália, às 13h. O duelo de seleções campeãs promete ser o grande jogo do dia, pois vai eliminar mais um campeão mundial da Copa.

Leia também: Ídolos que viraram carrascos na Copa do Mundo

O Uruguai precisa vencer, enquanto a Itália precisa de um empate para continuar na Copa. Quem vencer tem lugar garantido nas oitavas de final. Dada à importância do jogo, Lugano reconheceu a pressão e pediu para os uruguaios confiarem na Celeste, a ter paciência e audácia de sonhar com o melhor. “Nós não nascemos para ‘as fáceis’, nascemos para ‘as difíceis’, e essa é uma difícil. Eu peço união. Uruguai apenas!!”

A carta emocionada mobilizou fãs da Celeste: já tem mais de 23 mil curtidas e 16 mil compartilhamentos. O post também comoveu vizinhos, com comentários de vários países latinos.

“Bonito o que disse. Felicito-o, e me dá um pouco de inveja, nós argentinos nos achamos melhores, somos soberbos, e nos falta tanto!! Admiro vocês, como equipe e como país”, disse a argentina Adri Bergero nos comentários.

Do Peru, Ingrid Rojas Chavez comentou: “Gosto da garra que os uruguaios têm, felicidades!! E óbvio que o título é de vocês :) Saudações do Peru!”

E é claro que não poderia faltar o Brasil nos comentários. “Me fascina a garra com que esse time luta até o fim, saudações dessa brasileira que tem um coração Celeste.Minha admiração a essa equipe a essa gente”, disse Rita Burnatowiski.

Leia a carta original na íntegra ou a tradução abaixo:



Um pedido a todos os uruguaios

Cada Copa do Mundo serve para redescobrir que nós uruguaios não somos nem como os argentinos, nem como os alemães, nem como os brasileiros, nem como os espanhóis, nem os ingleses... Os uruguaios são bem uruguaios e nos parecemos só como nós mesmos, apesar de que às vezes queremos ser diferentes. Não tomamos tereré (tipo de chá), nem o chá das cinco: tomamos mate a qualquer hora... Comemos churrasco, jogamos truco, amamos o futebol e sonhamos com o impossível. Nosso horizonte foi e será o esforço e os milagres; e nossa paixão, foi, é e serão os desafios.

Somos contraditórios, injustos, imaturos, sonhadores, teimosos... muito teimosos. Nunca nos damos por vencidos, somos lutadores. Somos pequenos, mas sonhamos em ser gigantes. Somos uma família... e que família! Os que se vão são substituídos pelos que chegam, parecemos um grande time de futebol (tão grande, que às vezes quando jogamos, acabamos nos incomodamos com nós mesmos!). Queremos ganhar os jogos fáceis, mas convertemos eles em partidas difíceis, e às vezes os difíceis acabam ficando um pouquinho (bem pouquinho) mais fáceis. Jogamos todos, mas quando ganhamos, dizemos "ganhamos", quando perdemos, se fala "perderam".

Somos conscientes de que três milhões de uruguaios estão dependentes de nós. Mas sabem de uma coisa? Nós também estamos dependentes de três milhões de uruguaios. Gostamos que torçam, necessitamos que nos apoiem em cada erro; gostamos quando se emocionam que chorem de alegria em cada gol, em cada bola dividida... Sabemos que até quem critica daria o que fosse para estar correndo e ajudando, e que são os primeiros que ficam felizes quando ganhamos. Sentimos a pressão, sim, claro que sentimos; por isso às vezes, quando joga o Uruguai sentimos algo que entendemos, mas não conseguimos acreditar; e quando por fim acreditamos, não conseguimos entender. Nos emociona.

Faltando poucas horas para este jogo transcendental, de este enorme e dificílimo desafio, só peço que todos os uruguaios estejam unidos, torcendo pela Celeste, que é o mais importante de tudo. A Celeste é mais importante que nomes, capitães, resultados... Façamos força juntos, porque nós sentimos a camisa como ninguém quando sentimos o país unido e as pessoas felizes. Assim, somos três milhões de jogadores que estarão no campo; e que fazemos de maneira positiva, com atitude, vontade, com fome de glória, com uma linda pressão de nos sentir obrigados a não falhar sobre a nossa própria história.

Eu convido vocês a confiar, a ter paciência, a ter audácia de sonhar com o melhor. Nós não nascemos para "as fáceis", nascemos para "as difíceis", e essa é uma difícil. Eu peço união. Uruguai apenas!!

Um abraço a todos, Diego