NOTÍCIAS
24/06/2014 20:04 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:45 -02

Copa 2014: Porto Alegre se prepara para uma invasão argentina

DIEGO VARA/Agência RBS/ESTADÃO CONTEÚDO

A esperada invasão argentina a Porto Alegre, já prevista desde a confirmação de que nossos "hermanos" atuariam na cidade, de fato irá acontecer. São esperados de 50 mil (segundo o Governo Estadual do Rio Grande do Sul) a mais de 100 mil argentinos (de acordo com o Ministério da Justiça da Argentina) na cidade para acompanhar, no estádio, na Fan Fest, ou nos bares, a partida contra a Nigéria, que será disputada no estádio Beira-Rio, nesta quarta-feira, às 13h.

Nem tudo, no entanto, é festa. A proximidade do estádio e do local onde será realizada a Fan Fest, inclusive, ligou o sinal de alerta da Fifa pelo risco de possíveis invasões dos torcedores argentinos, sobretudo os barra bravas (como são chamados os "hooligans" argentinos), no Beira-Rio. Com isso, a Brigada Militar acatou um pedido da entidade máxima do futebol e irá manter, pela primeira vez na competição, policiais em meio ao público dentro do estádio.

Os argentinos já compareceram em peso às duas primeiras partidas da seleção "alviceleste" na Copa do Mundo, no Rio de Janeiro (contra a Bósnia-Herzegovina) e em Belo Horizonte (contra o Irã), enchendo as arquibancadas do Maracanã e do Mineirão. Contra a Nigéria, dada a proximidade do local do jogo com Buenos Aires - são 843 km em linha reta e 1.367 km pelas estradas argentinas, entrando em território brasileiro pela fronteira entre Paso de Los Libres e Uruguaiana, rota mais convencional utilizada pelos torcedores argentinos para invadir o Rio Grande do Sul - não apenas as arquibancadas do Beira-Rio estarão cheias, a cidade toda ficará lotada de adeptos da seleção de Messi.

Além de Buenos Aires, Mendoza, Córdoba, e Corrientes são as outras cidades de onde partirão mais torcedores. Com hotéis cheios, muitos dormirão em seus carros ou em casas alugadas e emprestadas de amigos. Como o estádio do Internacional tem capacidade para quase 50 mil lugares - e nem todos estarão ocupados por argentinos - muitos (a maioria deles) chegarão à cidade sem ingresso. Com isso, há cambistas vendendo bilhetes por até R$ 1,5 mil.