NOTÍCIAS
18/06/2014 14:51 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:45 -02

Fim de uma era na Espanha: rei assina abdicação e cede trono ao filho

Juan Medina/Reuters

O rei Juan Carlos I assinou nesta quarta-feira (18) a lei de sua própria abdicação em uma cerimônia solene no Palácio Real de Madri.

Diante dos principais poderes do Estado, o rei sancionou a lei que determina que ele passa a coroa a seu filho, agora Felipe VI.

Ao assinar a lei na companhia do presidente Mariano Rajoy, o rei abraçou o príncipe e cedeu a ele seu cargo, em um símbolo de transmissão de poder.

A abdicação foi anunciada em 2 de junho, com a justificativa de que é preciso mudar o comando para outra geração, no caso a de seu filho, o príncipe de Astúrias, para ajudar o país a sair da crise. Na sequência, dezenas de milhares foram às ruas de Madri para exigir um referendo para a abolição da monarquia e o restabelecimento de uma república na Espanha.

Motivos

Juan Carlos teve um dos reinados mais longos da história espanhola: 39 anos. O monarca foi considerado um herói por ter liderado a transição de ditadura para democracia na Espanha, mas também teve que lidar com muitos escândalos durante a decadência financeira do país recentemente. Além disso, a saúde enfraquecida por uma série de problemas colaborou com a renúncia.

A popularidade de Juan Carlos teve um grande baque em 2012, quando ele quebrou a bacia durante uma caça a elefantes em Botsuana durante um momento crítico da bancarrota espanhola. Além dos gastos fúteis com a viagem (e um retorno rápido à Espanha em um jatinho para iniciar um tratamento médico), Juan Carlos perdeu o cargo que mantinha desde 1968 de presidente honorário da WWF, World Wildlife Fund, por causa da caça a elefantes. Ele tomou a atitude inédita na monarquia espanhola de pedir desculpas por seus atos, mas não foi o bastante, pois logo mais ele estaria envolvido em mais um escândalo.

Seu genro, Inaki Urdangarin, foi investigado por caixa dois em contratos públicos. Sua filha Cristina foi obrigada a depor em janeiro deste ano na investigação de fraude e lavagem de dinheiro do marido, no que provou ter envolvimento com o caso. Não obstante, seu neto, Felipe Juan Froilán, de 13 anos, disparou contra seu próprio pé com uma arma proibida para menores de 14 anos.

(Com El Huffington Post)