NOTÍCIAS
10/06/2014 11:30 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:43 -02

Copa 2014: Argentina chega a BH e "barra brava" é impedido de entrar no Brasil

Flávio Tavares / Hoje em Dia / Estadão Conteúdo

Os “hermanos” já estão no Brasil. Na noite desta segunda-feira (9), a delegação da Argentina desembarcou no Aeroporto de Confins, em Belo Horizonte e seguiu para a Cidade do Galo, em Vespasiano, município localizado na Região Metropolitana da capital mineira - o Centro de Treinamento do Atlético-MG será a casa dos argentinos na Copa e, por conta disso, torcedores do clube, ao lado de alguns argentinos, recepcionaram Messi e companhia no local.

Se a presença de uma das mais tradicionais seleções em terras mineiras é motivo de festa para alguns, a possibilidade da chegada dos barra bravas, como são chamados os torcedores argentinos violentos, em Belo Horizonte, preocupa as autoridades locais. No mesmo dia em que os craques do país vizinho chegaram ao Brasil, um destes torcedores argentinos foi deportado ao tentar entrar no País.

Raul Daniel Attardo, torcedor do Rosário Central, chegou ao Brasil na manhã de segunda-feira, no aeroporto de Guarulhos, em São Paulo. Ao tentar passar pelo posto de imigração, contudo, foi identificado, tendo que embarcar de volta à Argentina.

Segundo a Polícia Federal, ele faz parte de uma lista de 2.100 nomes de pessoas envolvidas em atos de violência em estádios que foi repassada às autoridades brasileiras pela polícia argentina por meio de um programa de cooperação internacional.

LEIA MAIS: O #VaiTerCopa dos barra-bravas argentinos

O programa de cooperação internacional da Polícia Federal conta com policiais de todos os países participantes da Copa, que ajudarão as forças policiais brasileiras no monitoramento de torcedores considerados violentos.

Umas das sedes consideradas mais preocupantes é justamente Belo Horizonte. Além de receber os barra bravas argentinos, a cidade também terá a presença dos hooligans ingleses. E o encontro destes grupos rivais é visto com alerta máximo - ingleses e argentinos nutrem uma enorme animosidade, tanto por conta de questões políticas, como a Guerra das Malvinas, quanto pelo histórico de duelos em Copas ao longo da história.

A primeira vitória argentina

No ensejo desta enorme rivalidade, a conta oficial da seleção argentina no Twitter comemorou o alcance da marca dos 200 mil seguidores, deixando para trás justamente os arquirrivais ingleses – a Federação Inglesa de Futebol conta com 191 mil fãs.

Galeria de Fotos As casas das seleções da Copa Veja Fotos