Comportamento

Gwyneth Paltrow: "Não dê a mínima se os caras no Facebook te acham gostosa ou não"

As pessoas sempre surpreendem. E Gwyneth Paltrow é a prova disso. Na última terça-feira (27), a atriz participou da Code Conference, uma convenção de tecnologia para executivos no Vale do Silício, na Califórnia, para falar sobre “objetificação e desumanização” alimentadas pelos comentários anônimos na internet. Afinal, a atriz é fundadora do site de lifestyle Goop e tem muito a dizer sobre a vida digital. De cara, ela já surpreendeu os convidados ao dizer que o Facebook é misógino e que a internet está arruinando as nossas vidas.

“O Facebook começou como um espaço para julgar as mulheres por sua beleza ou a falta dela. Acho no mínimo curioso que uma empresa tão grande e que veio definir muito do papel da internet atual foi fundada com base nesta visão de seres humanos como objetos.”

E emendou uma crítica aos trolls...

“Nós podemos nos anestesiar momentaneamente focando na vida dos outros, passar um bom tempo rindo da desgraça alheia, mas de que servirá isso? A antipatia que é gerada quando as pessoas podem anonimamente opinar sobre as ações ou o jeito de se vestir dos outros... É onde chegou a nossa cultura. O que realmente me preocupa, pelo futuro de meus filhos e da próxima geração, é que as pessoas possam ser tão cruéis umas com as outras sem as consequências de fazer isso cara a cara.”

Em seguida, sugeriu que a gente ame a internet pelo que ela oferece de bom, sempre lembrando que não se trata de vida real e que, às vezes, ela pode ser muito perigosa para o nosso desenvolvimento...

"Talvez a Internet tenha surgido para nós como um teste para a nossa evolução emocional. O que é crescimento? O que é maturidade? É ser capaz de experimentar um acontecimento externo e criar um espaço dentro de si para conter essa experiência, para vê-lo através do filtro de quem você realmente é, e não ser reativo. Para que você, ao ver alguém com um vestido que você não gosta, em vez de comentar com um usuário @shitebomber207: 'Quem essa vadia pensa que é?', ou qualquer outra coisa, mesmo que você pense assim, pare e pense: “O que esta imagem representa para mim que me faz sentir essa onda de raiva?”

E por fim, deixou um conselho às mulheres:

“Acima de tudo, não dê a mínima se os caras no Facebook te acham gostosa ou não.”