NOTÍCIAS
29/05/2014 19:11 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:42 -02

Em sabatina à Folha de S. Paulo, Ronaldo fala sobre protestos, política e Copa do Mundo

Marcos de Paula

O ex-jogador Ronaldo, maior artilheiro da história dos Mundiais e membro do Comitê Organizador Local (COL) da Copa do Mundo de 2014, participou de uma sabatina na Folha de S. Paulo na tarde desta quinta-feira (29).

Entre outros assuntos, o ex-craque falou sobre seu apoio a Aécio Neves, sua crítica à organização da Copa do Mundo e seus palpites para o Mundial do Brasil.

Confira os melhores momentos da entrevista:

Organização da Copa do Mundo

"Na entrevista para a Reuters, eu sinalizei as estruturas, e não os estádios, que era as exigências para a Copa. Na entrevista, a minha vergonha é pela população, que esperava esses grandes investimentos, esse grande legado da Copa, para nós mesmos"

"É um descaso com a população. Eu entrei no Comitê Organizador Local (COL) por acreditar que era um bom negócio para os investimentos no Brasil, mas, pessoalmente, é uma oportunidade que estamos deixando de aproveitar. Foi prometido uma série de investimentos e não estão sendo entregues. Vão entregar só 30%"

"Eu acho que a gente não pode comparar com França, Itália, Espanha... Com a África, sim. A Alemanha não precisa de grande infraestrutura. Eles têm tudo pronto. E o nosso país, não é. A Copa era um motivo de grandes investimentos em grandes áreas [no Brasil]. Comparando com a África, não sei. Não sei o legado que ficou. Mas os estádios viraram elefante branco [inutilizáveis]",

Protestos

"Acho que os protestos são sempre válidos. Mas a partir do momento que tem vândalos no meio, mascarados, a segurança pública tem que conter esses infratores. Tem que baixar o cacete mesmo"

Política

"Eu sou amigo do Aécio [Neves, candidato do PSDB à presidência] desde 2000, quando apoiei ele na campanha do Estado de Minas. De lá para cá, somos amigos. O meu voto é dele. Eu não sou ligado a nenhum partido, eu apoio os meus amigos. O Andres [Sanchez] acho que será deputado estadual, e eu vou apoiar ele. E ele é do PT",

"Eu não tenho ambição política. Não tenho nem acordo com ninguém. E eu quero ver meu país bem, com condições que o povo merece. Eu quero ver mudanças"

"Eu tinha relação com o Lula... almocei muitas vezes com ele, inclusive. Com a Dilma, eu não tenho [relação]... Talvez porque ela não beba cachaça", brinca Ronaldo. "Eu tenho mais relação com o Fernando Henrique. Sou muito amigo dele"

"Ser presidente da CBF? Eu tenho que trabalhar muito se quiser ser um dia. Mas não quero. A CBF não me cria desejo. Presidente do Corinthians? Nem sou sócio. Não quero fazer parte da política por enquanto"

"O Romário? Não tenho nada a dizer. Não tenho nenhum comprometimento com o Romário. Espero que ele faça o papel dele como deputado, fazendo o que deve ser feito. Eu faço a minha parte. Mas eu não votaria nele"

Racismo

"O racismo não ter que ser combatido só no futebol. O racismo está na sociedade. E não só pela cor da pessoa, é pelo status, pelo emprego, pela roupa. O que eu poderia dizer, é que as pessoas têm que ser mais tolerantes com as outras"

"Sou a favor da cota [para negros em universidades], mas a cota, por si só, já é um ato de racismo. É um assunto muito delicado, complexo. Isso tem que ser decidido pelos políticos"

Copa 2014

"Acho que temos mais possibilidade de ganhar a Copa hoje do que em 2002 [quando conquistou o pentacampeonato]. Acho que estamos muito bem. Temos uma oportunidade ouro. Temos uma seleção equilibrada"

"Os quatro favoritos para o título da Copa? Brasil, Alemanha, Argentina e Espanha, nessa ordem. Acho que dá Brasil e Alemanha na final"