NOTÍCIAS
27/05/2014 17:50 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:35 -02

Copa 2014: goleiros da Seleção participam de entrevista coletiva na Granja Comary

Rafael Ribeiro / CBF

Os três goleiros da Seleção Brasileira, Júlio César, Jefferson e Victor, participaram da entrevista coletiva realizada na Granja Comary, em Teresópolis, nesta terça-feira (27). Mais cedo, pela manhã, treinaram com bola, sendo os primeiros da equipe a realizar exercícios no gramado.

Confira as melhores declarações dos atletas:

Jefferson

"Respeito os dois outros goleiros. Sei da qualidade deles, mas quero meu espaço. Tem que ter respeito. Na Copa das Confederações, houve esse respeito e todos ganharam com isso."

"O grupo da Copa das Confederações é praticamente o mesmo que o da Copa. Formamos uma família. Nos treinamentos, mostrei que tinha condições de integrar o grupo. Estamos mais experientes, mais fortes e o Brasil está bem servido de goleiros."

"Somos favoritos pelo que mostramos na Copa das Confederações. A Seleção entra para ser campeã. A pressão é uma pressão boa. Estamos focados, concentrados e vamos manter a humildade, um correndo pelo outro. A Seleção vai entrar forte."

"Não podemos ser hipócritas. O Júlio é o titular por tudo o que ele fez pela Seleção. Mas ninguém veio aqui para cumprir tabela. Temos que treinar para mostrar que podemos ser titulares. O Brasil está bem servido de goleiro."

Victor

"Fui bem recebido pelo grupo. A gente percebe que a amizade e o companheirismo dentro dessa seleção é algo bastante presente. Fui muito bem tratado."

"Os exames (físicos e médicos) são um mal necessário. É importante para fazer uma melhor preparação em cima disso. Todo mundo tem um certo receio, mas sabe da importância disso para ter um bom desempenho."

"Amadureci (por ter ficado de fora da Copa de 2010). Hoje me sinto feliz por poder trabalhar ao lado de grandes goleiros. Sonho realizado, orgulho demais. A frustração de 2010 (em ter ficado fora da Copa) foi revertido em felicidade plena por poder jogar a Copa no Brasil."

"Há a disputa saudável, e quando há essa disputa com respeito, eleva o nível técnico e quem ganha com isso é a Seleção e o torcedor."

"Com mais idade, o goleiro melhora a colocação, fica mais tranquilo, aprende com os próprios erros. A idade não assusta, pelo contrário."

Júlio César

"Quando fui jogar a liga americana, que é patrocinada pela mesma patrocinadora da Fifa, treinei e joguei com a bola da Copa. É uma bola boa, já pude ter contato com ela. E os jogadores de linha irão gostar."

"Por ser no Brasil, é uma Copa diferente. Dias atrás, pensei: 'estou indo para o Brasil jogar uma Copa do Mundo no meu país'. É uma coisa realmente muito especial."

"Para a Copa de 2010, por ter jogado as Eliminatórias, o Dunga teve mais tempo para formar o grupo. Mas o grupo de hoje, em pouco tempo, conseguiu o que Dunga conseguiu fazer em 3 anos e meio. Esse grupo de hoje tem uma união tão forte quanto à de 2010."

"Marcelo e Fred são incríveis. Estão sempre botando o clima para cima. Quando a gente está concentrado, precisa de um clima assim e eles são fundamentais para isso."

"Chego muito melhor do que em 2010. Hoje me sinto muito mais preparado. Na hora da adversidade, temos que tirar muita coisa positiva. Tive problemas nesses quatro anos e tive que ter muita força para estar aqui dentro. Tive problemas no Queens Park Rangers. Chego questionado, mas feliz e motivado."

"Pra ser sincero, não me sinto titular, apesar da confiança de Felipão. Temos três goleiros bons. Cada um ajuda o outro a ser melhor. Fui bem na Copa das Confederações, mas um ano passou. Ser titular em duas Copas seguidas é um feito e vou me preparar bastante para realizar esse sonho."

"É uma escolha do Felipão (os quatro líderes). Mas temos outros líderes, como o Jefferson. Em relação a grupo, mesmo que jovens, os jogadores são consagrados e todos opinam. A opinião de todos é sempre importante. E temos essa liberdade para falar, para se expressar."

"Não me sinto pressionado. Eu tenho que acreditar no meu trabalho. Sei o quanto posso somar para esse grupo. A Copa das Confederações foi boa pra mim, me trouxe mais confiança. Agora quero realizar um sonho. Pode ser a última oportunidade e quero ganhar."

"Quando fomos eliminados em 2010, foi uma tristeza. O Thiago Silva me lembrou que eu disse na época que iria superar tudo, jogar a Copa no Brasil e ser campeão. Em nenhum momento, eu desisti de estar aqui. Parreira sempre me deu confiança. E toda confiança é uma troca. Então, tenho certeza que vou retribuir a confiança que eles depositaram em mim."

"É importante o goleiro jogar. Escolhi jogar no Toronto para pegar ritmo de jogo. Esse foi o porquê da minha escolha. O Toronto foi o único que abriu as portas para mim. Optei porque o treinador me garantiu que eu ia jogar todos os jogos."

"Posso dizer que me tornei um profissional melhor depois de 2010. Cheguei muito autoconfiante na Copa da África, até por tudo que aconteceu na Inter. E me atrapalhou. Nesse novo ciclo, treinei bem no Toronto, e posso dizer que chego melhor para esta Copa."