NOTÍCIAS
21/05/2014 16:16 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:35 -02

Site de Yoani Sánchez entra no ar - e é redirecionado para "Yoanislandia" em Cuba

Enrique Castro-Mendivil/Reuters

O site da blogueira Yoani Sánchez entrou no ar - e foi hackeado menos de uma hora depois em Cuba nesta quarta-feira (21). O site 14ymedio estava redirecionando os leitores cubanos para a página de escárnio contra Sánchez "Yoanislandia", que é bem conhecida entre os apoiadores do governo castrista.

Sánchez, crítica do governo de Raúl Castro e, antes dele, Fidel, acusou o governo de usar seu controle sobre a internet para impedir que os cubanos acessem críticas à administração. “Péssima estratégia do governo cubano”, disse ela no Twitter. “Não existe nada mais atrativo do que o proibido”.

Segundo um analista de internet da empresa Renesys, Doug Madory, o site está funcionando no resto do mundo, menos em Cuba. O jornal "14ymedio.com" foi lançado online com doações não identificadas de cerca de 150 mil dólares, com o foco em dar espaço para críticas ao governo. "'14ymedio' é a evolução de uma aventura pessoal em um projeto coletivo", diz a publicação.

A primeira edição do jornal, que pode ser acessado em www.14ymedio.com, conta com uma ampla gama de temas, de política a cultura, com ênfase na crítica ao sistema de saúde cubano e um questionamento do status do beisebol como esporte nacional.

A maioria dos cubanos não poderia ter acesso ao site mesmo se não fosse hackeado, uma vez que apenas 2,6 milhões de pessoas de uma população de 11,2 milhões têm acesso à Internet e muitos só podem ver a Intranet controlada pelo governo.

Yoani, de 38 anos, é uma crítica severa do governo de Cuba, contra o qual promoveu ataques em seu popular blog "Geração Y" e em sua conta da rede social Twitter. Seus posicionamentos a levaram à prisão em várias ocasiões.

Yoani & EUA

O governo cubano não comentou sobre o bloqueio ao site, mas já afirmou mais de uma vez que Yoani é financiada pelo governo dos Estados Unidos, acusação não muito distante da realidade, considerando que a legislação americana assegura o apoio a indivíduos e organizações contrários aos irmãos Castro.

“O Presidente está autorizado a proporcionar assistência e oferecer todo tipo de apoio a indivíduos e organizações não-governamentais independentes para apoiar os esforços com vistas a construir a democracia em Cuba”, diz o artigo 109 da Lei Helms-Burton, de 1993, aprovada pelo Congresso. Além disso, em 2002 o Senado americano aprovou uma resolução que expressa apoio aos dissidentes de Cuba.

Uma autoridade cubana falou em condição de anonimato à organização independente de jornalismo Pulitzer Center que não consegue imaginar como Sanchez conseguiria crescer tanto sem ajuda financeira internacional. "Eu calculo que a operação Yoani Sanchez custa cerca de 250.000 dólares por ano", disse. A autoridade disse que não acredita que os EUA estejam financiando diretamente o blog de Sanchez, mas que o dinheiro chega de maneira encoberta através de outros grupos e pessoas que apoiam a blogueira.

O WikiLeaks divulgou entre 2008 e 2010 uma série de documentos que comprovam a estreita relação entre Yoani e a diplomacia americana. Questionada sobre como seus projetos são financiados, Sanchez já disse mais de uma vez que são "doações privadas".

(Com Associated Press e Reuters)