NOTÍCIAS
16/05/2014 20:47 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:35 -02

Estudo britânico aponta que aparelhos celulares podem, sim, ser maléficos para o cérebro

corydalus/Flickr
On the CTA

Se você acha que o uso de celular não afeta diretamente o cérebro, pense duas vezes (novamente).

Um novo estudo publicado no periódico britânico Occupational and Environmental Medicine sugere que, sim, os telefones móveis podem aumentar as suas chances de desenvolver alguma doença cerebral.

Segundo o trabalho, o uso de um telefone celular por 15 horas mensais durante cinco anos já é suficiente para o aumento do risco de desenvolvimento de alguns tipos de câncer cerebral, como glioma e meningioma. O estudo traz algumas novas possibilidades de conexão entre a interação com smartphones e determinadas doenças, mas não apresenta nenhuma certeza sobre estes malefícios.

Anteriormente, dois estudos já haviam ligado o desenvolvimento de câncer cerebral com o uso de celulares, mas como este estudo, também trabalharam com hipóteses. Segundo cientistas, uma das dificuldades de achar uma conexão definitiva entre o uso de celulares e câncer no cérebro está na dissociação diária do uso de celulares com outros agentes que também causam câncer, como o hábito de fumar, por exemplo. Mudanças tecnológicas no campo da telefonia celular também ajudam a impedir avanços neste campo de pesquisa.

(via)