Aumentou cerca de 6 anos a expectativa de vida no mundo

Entre 1990 a 2012, a expectativa de vida mundial aumentou cerca de seis anos. Esta foi a novidade apresentada pelo relatório anual de estatísticas da Organização Mundial de Saúde (OMS), que foi divulgado nesta quinta-feira (15). Isso significa que mulheres nascidas a partir de 2012 têm mais chances de chegar aos 73 anos de idade, enquanto os homens podem alcançar os 68.

“Uma das principais razões que justificam o aumento é o fato de que cada vez menos crianças estão morrendo antes dos cinco anos de idade”, disse Margareth Chan, diretora-geral da OMS.

Outra notícia positiva divulgada no documento foi a de que os países com rendas mais baixas registraram um progresso bastante expressivo. Durante o mesmo período, eles viram a expectativa de vida de sua população saltar cerca de nove anos. Só a Libéria, na África, registrou um crescimento de 20 anos – se antes, a idade média era de 42 anos, agora, ela já atinge os 62 anos. Em seguida, aparece a Etiópia (de 45 para 64 anos), Maldivas (de 58 para 77 anos), Camboja (de 54 para 72 anos), Timor-Leste (de 50 para 66 anos) e Ruanda (de 48 para 65 anos).

Ricos X Pobres

O relatório apresentou ainda a diferença das expectativas de vida registradas entre países com maiores e menores rendas per capita. Um menino nascido em 2012, em um país rico, pode chegar a viver cerca de 76 anos, 16 a mais que um menino nascido na mesma época em um país pobre. Já entre as mulheres, a diferença é ainda maior, chega a 19 anos. Ou seja, enquanto a expectativa é de que uma mulher nascida em um país rico viva em torno de 82 anos, nos países pobres, esse número não passa dos 63.

“Nos países com maior renda, grande parte do ganho na expectativa de vida é devido ao sucesso na luta contra doenças crônicas”, afirmou o médico Ties Boerma, diretor do serviço de estatísticas de saúde da OMS. “Menos homens e mulheres estão morrendo antes de chegarem aos 60 anos por doenças cardíacas e infarto. Os países mais ricos tornaram-se melhor em monitoramento e gerenciamento de pressão alta, por exemplo.”

A queda do consumo de cigarros também tem sido vista como um fator importante na expansão da expectativa de vida em diversos países.

Para completar, o relatório trouxe ainda um balanço das maiores expectativas registradas entre mulheres e homens. O Japão é o país onde elas mais vivem – cerca de 87 anos. Atrás dele, aparece Espanha, Suíça e Singapura. Já os homens vivem mais na Islândia – por volta dos 80 anos. Suíça e Austrália surgem na sequência.