COMPORTAMENTO
01/05/2014 17:02 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:29 -02

Honestidade radical: "Por que prometi contar tudo ao meu marido"

Thinkstock

Quando meu marido e eu começamos a namorar firme, três anos atrás, concordamos em praticar a Honestidade Radical em nosso relacionamento. Isso significa que entre nós não haveriam segredos maiores que uma festa surpresa. A regra pode ser mais difícil de cumprir do que você poderia suspeitar inicialmente. Mas nós dois achamos que valia a pena sentir uma angústia ocasional para desfrutar um romance que nos faz sentir totalmente conectados e confiantes um no outro.

O que significa a Honestidade Radical? Significa simplesmente que você conta para seu parceiro ou sua parceira tudo o que acontece na sua vida. Tudo. Não apenas aonde você vai naquela noite e o que fará no trabalho naquele dia e com quem, mas também mencionar quando você conhece alguém que lhe desperta interesse. Quando você sente a necessidade de procurar um ex-namorado. Ou quando você se sente dominada pela culpa sobre alguém que magoou anos atrás.

Significa compartilhar quando alguém no escritório a está paquerando -- mesmo que você não corresponda a seus avanços. Ou contar a seu parceiro ou parceira que você acha alguém sexy -- mesmo que seja um ator de cinema. Resumindo, é a abertura total, sem guardar nenhum segredo, na tentativa de afastar possíveis problemas no futuro.

Meu desejo de Honestidade Radical é profundo. Fui casada durante seis anos e tive um relacionamento de nove antes de conhecer e me casar com meu atual marido, Kiran.

Na época, eu estava casada com Sid, que não era de modo algum o amor da minha vida, mas tínhamos uma relação carinhosa e divertida -- até que ela terminou. Aos poucos eu descobri que Sid mentia para mim. Primeiro sobre pequenas coisas, como encontrar alguma ex-namorada em um evento e tomar um drinque com ela. Depois sobre grandes coisas, como paquerar uma amiga nossa e dizer que queria dormir com ela. Depois que nos divorciamos, as paredes desmoronaram. Outras pessoas contaram histórias sobre Sid. Acontece que meu ex tinha sido desonesto sobre quem ele era no íntimo. Levei muito tempo para perdoá-lo -- e a mim mesma.

O que eu aprendi sem sombra de dúvida no meu primeiro casamento foi um presente. Passei a entender que as mentiras, por menores que sejam, podem ser uma bola de neve e se transformar em decepções muito maiores e humilhantes. As mentiras minaram completamente meu relacionamento com Sid; eu não permitiria que a mesma coisa acontecesse com Kiran.

É claro que praticar a Honestidade Radical pode ser difícil. Ela nos obriga a enfrentar emoções delicadas sem rodeios. Em uma sociedade que nos ensina a evitar ao máximo o conflito, a fazer as pazes, amaciar as coisas e contar mentiras inocentes, a Honestidade Radical é a política oposta. Tem a ver com mergulhar de cabeça em situações duras, em nome do amor.

Vou lhe dar um exemplo. Prometi dizer a Kiran sempre que eu soubesse de um ex-namorado, assim como ele me dirá quando uma ex-namorada o procurar. Eu pessoalmente não acho que haja algo pior do que olhar para o celular de seu parceiro quando ele toca e ver na tela o nome daquela ex que faz seu coração bater, os joelhos tremerem e o ciúme crescer. O que poderia inspirar de maneira mais instantânea e certeira uma fusão mental completa? Pelo menos assim eu sei que se Angela ou Katy (não são os nomes verdadeiros) procurarem Kiran ele me contará, e pronto.

No entanto, apesar de nosso compromisso de Honestidade Radical, tive dificuldade de praticá-la nos primeiros tempos de nossa relação. Um dia, recebi um e-mail de um ex-namorado (vou chamá-lo de Robert), dizendo que ele estaria na cidade e perguntando se eu gostaria de encontrá-lo para tomar um café. Era um pedido totalmente inocente. Robert sabia que eu estava muito bem casada com o amor da minha vida, e ele mesmo estava em uma nova relação, aparentemente muito feliz. Além disso, tínhamos namorado durante apenas seis meses e as coisas terminaram de modo amigável quando decidimos nos separar.

Mas por algum motivo eu não contei imediatamente para Kiran. Respondi para Robert dizendo que sim, gostaria de encontrá-lo para um café no fim de semana. Então esperei. E esperei. Mais uma vez, para deixar claro, eu não tinha intenções de infidelidade ou qualquer sentimento romântico por Robert. Eu ia contar a Kiran meus planos de encontrar meu ex. Mas não agi imediatamente para contar a novidade. Eu estava escondendo de Kiran o convite de Robert porque a perspectiva de conversar sobre o ex-namorado com meu amor atual me deixava desconfortável. Eu temia que Kiran ficasse enciumado, que se aborrecesse. Não queria magoá-lo. Queria protegê-lo.

Bem, manter o e-mail de Robert em segredo não poderia ter sido uma decisão pior. Eu deveria ter dito algo para Kiran logo, e perguntado se ele não se incomodava com o encontro platônico. Se ele ficasse aborrecido ou enciumado, eu poderia ter resolvido o assunto. Se ele dissesse "Não, não se encontre com Robert", eu absolutamente teria respeitado sua vontade.

Mas esperei até a véspera do dia em que Robert chegaria à cidade para dizer alguma coisa. Quando o fiz, Kiran ficou contrariado e quis saber quando eu tinha feito esses planos. Fui honesta e contei que fazia vários dias. Começamos a discutir. Afinal, Kiran ficou muito mais aborrecido por eu ter violado nossa regra de Honestidade Radical do que pelo fato de Robert me procurar ou eu concordar em encontrá-lo. Kiran sentiu-se traído por eu ter mantido um segredo dele durante alguns dias.

Senti-me péssima, culpada, desonesta. E acabei cancelando o encontro, porque reparar meu relacionamento com meu único amor era muito mais importante para mim do que um encontro social com um ex-namorado. Todos saíram perdendo devido a minha relutância em enfrentar a situação sem medo e com integridade.

Por outro lado, todas as vezes que compartilho minhas vulnerabilidades com Kiran ele reage com tal ternura e compaixão que fico maravilhada. Ele responde a qualquer memória ou desejo embaraçoso com amor, respeito e compreensão -- e eu faço o mesmo por ele.

Por causa disso -- nossa política de Honestidade Radical --, não tenho a menor dúvida de que nosso casamento vai durar. Não é uma prática fácil, e talvez nunca seja, mas funciona para nós.

(Escrito por Mei Mei Fox para YourTango.com)