NOTÍCIAS
30/04/2014 16:00 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:29 -02

Meninas sequestradas em colégio são obrigadas a casar com terroristas na Nigéria

Haruna Umar/AP

Dezenas de meninas sequestradas em um colégio na Nigéria estão sendo forçadas a se casar com os terroristas islâmicos que as raptaram, segundo um grupo da sociedade civil denunciou nesta quarta-feira.

Os familiares dizem que as meninas estão sendo vendidas para casamento com os militantes do Boko Haram por 2.000 naira (26 reais). Halite Aliyu, do Fórum do Povo Borno-Yobem a informação vem de vilas na floresta Sabisa, na fronteira da Nigéria com Camarões, onde o Boko Haram tem esconderijos.

Em manifestação nesta quarta, mulheres pedem buscas efetivas das meninas sequestradas

Um senador nigeriano disse que o governo precisa de ajuda internacional para resgatar as mais de 200 meninas sequestradas há duas semanas. “Custe o que custar. até buscar ajuda internacional para garantir que essas meninas sejam libertadas”, disse Ali Ndume. “Quanto mais o tempo passa, menores as chances de encontrá-las e mais traumatizadas elas e as famílias ficam”, completou.

Cerca de 50 das meninas conseguiram fugir do Boko Haram nos primeiros dias do sequestro, mas 220 continuam desaparecidas, segundo a escola de meninas Chibok. Elas tem idades entre 16 e 18 anos e estavam na escola para uma prova de Física.

O sequestro em massa aconteceu depois de uma grande explosão em Abuja, capital da Nigéria, que matou 75 e feriu 141. O fracasso em resgatar as meninas é um constrangimento para o governo e o Exército da Nigéria, já criticados pela incapacidade de frear o fundamentalismo que cresceu nos últimos cinco anos no país. Mais de 1.500 pessoas morreram vítimas de insurgência este ano, em comparação a uma estimativa de 3.600 entre 2010 e 2013.

Mobilizada pela situação, a plataforma Change criou uma petição para cobrar a ONU Mulheres, UNICEF e outras organizações de pressionar o governo nigeriano. Assine aqui a petição.

(Com Associated Press)