NOTÍCIAS
29/04/2014 21:10 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:29 -02

Imposto de Renda: prazo de entrega da declaração termina nesta quarta-feira

ThinkStock

Ok, vamos encarar os fatos: como muitos brasileiros (incluindo o autor deste texto) você deixou para entregar a declaração de imposto de renda aos 49' do segundo tempo.

CALMA!

Aqui está um guia rápido de como se livrar disso mais depressa.

Lembre-se que são obrigados a declarar os contribuintes que em 2013:

  • tiveram rendimentos tributáveis em valor superior a R$ 25.661,70;
  • receberam rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte em valor superior a R$ 40 mil;
  • tiveram ganho de capital na alienação de bens ou direitos (como a venda de um imóvel com lucro embutido), ainda que tenham optado pela isenção do imposto sobre esse ganho;
  • fizeram operações em bolsas de valores;
  • tiveram a posse de bens e direitos em valor superior a R$ 300 mil;
  • (entre outros itens. Dê uma lida aqui se tiver dúvidas.)

Você está neste grupo? Se não, comemore. Se sim, continue lendo.

Finalmente, a declaração.

Passo 01: organize-se

Antes de tudo é preciso organização. Junte todos os papeis: informe de rendimentos do trabalho, os recibos de declarações anteriores, extratos bancários, notas fiscais e o que mais for declarável. É importante ter todos os documentos e notas juntos antes de começar a declaração para ter certeza de que nada ficou para trás.

Passo 02: baixe o programa da declaração

Não existe como entregar declaração física do imposto de renda, amigo. Nem adianta querer imprimir e levar amanhã na Receita Federal. É preciso fazer o download dos programas necessários. É possível entregar também através do aplicativo para smartphone. Sempre bom lembrar: há dois tipos de declaração, uma mais simples para quem tem menos itens a declarar. No momento do preenchimento o programa vai perguntar qual o mais adequado.

Passo 03: preencha atenciosamente o documento

Esta, claro, é a parte mais xarope. Há vários tutoriais/passo-a-passo disponíveis por aí. A Receita Federal tem o dela. Aqui tem outro muito bom.

O que é preciso checar ao final da declaração!

  • Os valores declaráveis: veja se tudo foi preenchido corretamente. Salários, alugueis, rendimentos de serviços, comissões com nota fiscal... Enfim, tudo o que for tributável. Olhe os valores um a um antes de enviar para não correr o risco de cair na malha fina.
  • Se você tem dependentes, verifique se todos os rendimentos tributáveis estão na declaração (aposentadoria do pai, bolsa-estágio do filho, salário da esposa etc)
  • Veja se todas as fontes de rendimento estão na declaração! Tecnicamente já alertamos isso ali em cima, mas não custa ver se TUDO O QUE PODE GERAR TRIBUTOS E IMPOSTOS ESTÁ NA DECLARAÇÃO. De nada.
  • O aluguel. Se você mora de aluguel, você precisa declará-lo, mesmo que esse item não seja dedutível.
  • Declaração de bens. Cheque todas. É obrigado a declarar como bens saldos em contas correntes e aplicações financeiras superiores a R$ 140 cada um – como uma caderneta de poupança, por exemplo. Aqui vai também o carro, embarcações e aeronaves de qualquer valor (não, aquele helicóptero comprado no ano passado não é isento); bens de valor de aquisição superior a R$ mil (aquele Rolex comprado no natal também não, foi mal); ações, cotas de empresas, ouro, e ativos financeiros que valham mais do que R$ 1 mil.
  • Dívidas. Todas. Nada escapa ao Leão. Todas no valor acima de R$ 5 mil devem ser declaradas.

Passo 04: finalize o formulário e envie

Há um botão, chamado "Verificar pendências". É ótimo. Ele... verifica pendências da sua declaração. É o último item da parte onde está escrito “Fichas da declaração” no programa da Receita Federal.

Finalizada a declaração, envie por meio do mesmo programa já baixado (lá em cima, você fez o download, não?) e espere o recibo. Aliás, guarde-o, você vai precisar dele na declaração de 2015 (sim, já vá se preparando).

Passo 05: comemore (ou: ainda tem uma quase-segunda-chance)

Pronto, pode abrir aquela cervejinha, missão cumprida. Caso depois disso tudo você ainda tenha esquecido alguma coisa é possível entregar uma declaração retificadora. Mas é melhor não correr riscos, né?