NOTÍCIAS
25/04/2014 15:40 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:29 -02

STJD pede exclusão da Portuguesa da Série B

Estadão Conteúdo

O Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) efetuou, na manhã desta sexta-feira (25), o pedido de exclusão da Portuguesa da Série B do Brasileirão.

A denúncia foi feita por conta do abandono de campo realizado pela equipe paulista na partida contra o Joinville, há uma semana, na estreia das equipes na competição, e a decisão, segundo, Paulo Schmidt, procurador-geral da entidade, foi tomada após ampla investigação realizada pelo órgão.

Ao site Globoesporte.com, Schmidt afirmou: “Enviamos pela manhã a denúncia referente ao abandono injustificável de campo pela Portuguesa contra o Joinville. Nossas investigações e análises constataram fatos absolutamente inaceitáveis de fraude, farsa, simulações e diversas infrações disciplinares absolutamente incompatíveis com qualquer partida de futebol, mesmo de várzea, o que dirá no desporto profissional. São fatos lamentáveis às vésperas da Copa do Mundo”.

De acordo com o procurador, a Lusa infringiu os artigos 205, parágrafo segundo, e 231 do CBJD (Código Brasileiro de Justiça Desportiva) e o artigo 69-2 do Código Disciplinar da FIFA. As penas contidas nestes artigos variam da perda de pontos em favor do Joinville até a exclusão da Série B, o que acarretaria no rebaixamento da equipe para a Série C.

Veja o comunicado oficial do STJD:

Depois de ser rebaixada devido a um erro de escalação irregular na última partida pela série A do campeonato brasileiro, em 2013, a Lusa pode amargar um novo rebaixamento.

O time paulista foi denunciado, hoje (25/4) pela Procuradoria do Superior Tribunal de Justiça Desportiva – STJD por ter abandonado o campo de jogo durante a partida contra o Joinville, na última sexta (18/04) em Joinville (SC), na estreia pela série B. A Portuguesa teria deixado o campo após receber uma liminar que devolveria os pontos perdidos no Campeonato Brasileiro da Série A de 2013. Durante a semana do jogo contra o Joinville, o presidente do clube paulista afirmou que a liminar não impediria o time de disputar a partida.

Segundo a denúncia da Procuradoria, a Lusa, ao deixar o campo, infringiu os artigos 205, parágrafo segundo, e 231 do CBJD (Código Brasileiro de Justiça Desportiva) e o artigo 69-2 do Código Disciplinar da FIFA. As penas contidas nestes artigos variam da perda de pontos em favor do adversário até a exclusão do campeonato em disputa, o que acarretaria no rebaixamento compulsório para a Série C.

O caso ocorreu aos 16 minutos do primeiro tempo da partida, válida pela primeira rodada do Campeonato Brasileiro da Série B. Marcos Rogério Lico, filho de Ilídio Lico (presidente da Portuguesa), apareceu na beira do gramado com uma liminar e, após informar o delegado da partida, exigiu que Argel Fucks, técnico da Lusa, retirasse o time de campo. Após os atletas irem para o vestiário, Marcos Rogério anunciou que o time não voltaria mais do vestiário. O árbitro encerrou o jogo após esperar o tempo regulamentar.

Além da Portuguesa, também foram denunciados pela Procuradoria o técnico Argel Fucks, Marcos Rogério e Ilídio Lico por atuarem de forma contrária à ética desportiva e prejudicarem o Joinville e sua torcida.

O Procurador Geral da Justiça Desportiva, Paulo Schmitt estará à disposição de jornalistas para esclarecimentos complementares, hoje (25/4), a partir das 16 horas, na sede do STJD - rua da Ajuda, 35, décimo quinto andar.