NOTÍCIAS
25/04/2014 22:20 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:29 -02

Pré-candidato em SP por partido de Marina Silva, Mateus Prado pede desculpas por "generalização"

Reprodução/Facebook

Pré-candidato ao governo de São Paulo, o sociólogo Mateus Prado se envolveu em uma polêmica e teve de se desculpar nesta sexta-feira (25). Em um encontro com correligionários da Rede Sustentabilidade, partido fundado pela ex-senadora Marina Silva – vice na chapa presidencial de Eduardo Campos (PSB) – nesta semana, ele sugeriu que ela estava sendo assessorada por uma “maioria de maconheiros”. A notícia foi publicada no Blog do Josias.

Prado reafirmou algo que Marina já havia dito, sobre uma grande parte do partido ser a favor da descriminalização da maconha no País. Mas ele foi além. “Boa parte da assessoria dela (Marina) puxa um baseado”, disse. Vídeos divulgados mostram o pré-candidato fazendo ainda outros comentários polêmicos, criticando abertamente o presidente estadual do PSB, deputado Márcio França. “Eu odeio Márcio França, não queria ser da chapa dele”, afirmou.

Ele atacou ainda Eduardo Campos e fez sugestões curiosas, como proibir o uso de carros em alguns dias da semana em São Paulo.

A reportagem do Brasil Post tentou falar com o sociólogo, mas as ligações não foram atendidas. Em sua página no Facebook, Prado pediu desculpas e lamentou a repercussão das suas declarações, através da divulgação de vídeos cuja atitude “não contribui com a construção interna de uma cultura de paz e nem com a busca de consenso progressivo nas decisões da #Rede”.

Tanto o PSB quanto a Rede não se pronunciaram sobre o assunto.