NOTÍCIAS
22/04/2014 21:41 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:29 -02

Oposição na Câmara apresenta requerimentos para ouvir ex-presidente da Petrobras

Renato Costa/Frame/Estadão Conteúdo

Deputados da oposição apresentaram nesta terça-feira (22) quatro requerimentos de convite para ouvir o ex-presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli, depois de novas reportagens publicadas pela imprensa neste fim de semana sobre a compra pela estatal da refinaria de Pasadena, nos Estados Unidos. Os pedidos devem ser analisados nesta quarta-feira (23) pela manhã, dois na Comissão de Fiscalização Financeira e Controle (às 10 horas), um na Comissão de Desenvolvimento, Indústria e Comércio (às 9h30) e outro na Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional (às 10 horas).

"A compra da refinaria de Pasadena provocou um enorme prejuízo à empresa, que é um patrimônio de todos os brasileiros", afirmou o deputado Duarte Nogueira (PSDB-SP), autor do requerimento na Comissão de Relações Exteriores.

No domingo (20), em entrevista ao jornal O Estado de S.Paulo, Gabrielli assumiu sua responsabilidade pelo relatório executivo sobre a compra da refinaria de Pasadena, em 2006, quando ele comandava a estatal, e afirmou que a presidente Dilma Rousseff, à época presidente do conselho administrativo da empresa, não deveria “fugir da responsabilidade dela”.

LEIA TAMBÉM

Comissão da Câmara vai convidar empresário explicar contratos com a Petrobras

Família de ex-diretor da Petrobras gastou quase R$ 6 mi em imóveis nos últimos cinco anos, diz revista

Para resolver impasse de Pasadena com Petrobras, Astra acionou até irmão de John Kennedy

Segundo o líder do DEM, deputado Mendonça Filho (PE), há uma “guerra de versões” entre Gabrielli e Rousseff sobre a aquisição da refinaria. Ele apresentou dois requerimentos para ouvir o ex-presidente da estatal.

Já o deputado Vanderlei Macris (PSDB-SP) quer ouvir Gabrielli sobre a proposta da companhia belga Astra Oil de recomprar a parte da Petrobras da refinaria quando as empresas começaram a entrar em desacordo em 2007. O então presidente da estatal recusou a oferta.

Pedido anterior

O líder do Solidariedade, deputado Fernando Francischini (PR), disse nesta terça-feira que o partido também vai buscar aprovar um requerimento de convite, apresentado há um mês, na Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado, que está na pauta da reunião das 14 horas desta quarta-feira (23). Além de Gabrielli, o documento convida:

- a presidente da Petrobras, Graça Foster;

- o ex-diretor da estatal, Nestor Cerveró, que veio à Câmara na última quarta-feira (16);

- o ex-diretor de Refino da empresa, Paulo Roberto Costa, preso na operação Lava Jato da Polícia Federal (PF); e

- o doleiro Alberto Youssef, também detido na mesma operação da PF.

Gabrielli compareceu à Câmara no início do mês, em uma reunião fechada com a bancada do PT, e defendeu a compra da refinaria norte-americana. Segundo ele, “à época, um bom negócio” para a estatal brasileira.

Foster e Lobão

Na última quarta-feira (16), o presidente da Comissão de Fiscalização Financeira e Controle, deputado Hugo Motta (PMDB-PB), anunciou estar negociando a vinda à Câmara da presidente da Petrobras, Graça Foster. “Está reservada a tarde da próxima quarta-feira (23). Havendo a informação de que a presidente não virá, faremos o acordo de convocação do ministro Lobão”, declarou Motta.

A aquisição da refinaria, a um preço final de cerca de US$ 1,25 bilhão, está sendo investigada pela Polícia Federal, pelo Tribunal de Contas da União (TCU) e pelo Ministério Público, além de ser alvo de propostas de comissões parlamentares de inquérito (CPMIs) no Congresso. A compra foi iniciada em 2006 e concluída em 2012, após a Petrobras perder uma batalha judicial com a Astra Oil.