COMPORTAMENTO
22/04/2014 17:27 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:29 -02

6 curiosidades sobre o whey protein que você precisa saber antes de consumir

Sava Alexandru via Getty Images

É impossível atravessar qualquer academia sem cruzar ao menos com uma pessoa chacoalhando um “scoop de whey protein”. O produto já virou febre entre os frequentadores que querem consumir altas doses de proteína de uma só vez com o intuito de ganhar músculos de um jeito rápido. O consumo cresceu tanto, que fez a Anvisa analisar melhor o suplemento. Resultado: 20 deles estão proibidos de serem vendidos. Com tamanha fama, a repercussão não poderia ter sido diferente: foi enorme. Mas será mesmo que as pessoas sabem bem o que estão consumindo?

A VEJA.com consultou alguns especialistas e descobriu algumas curiosidades bastante interessantes sobre esse suplemento da vez. Selecionamos seis delas, que você precisa conhecer:

A quantidade ideal de proteína

Segundo Celso Cukier, nutrólogo do Hospital Albert Einstein, uma pessoa normal precisa de 1 a 1,2 gramas de proteína para cada quilo de seu peso total – ou seja, quem pesa 70 quilos deve ingerir entre 70 e 84 gramas do nutriente por dia. Se esse indivíduo é esportista ou deseja aumentar a massa muscular, essa quantidade pode aumentar para 1,2 a 1,4 gramas de proteína por quilo, o equivalente a 84 a 98 gramas de proteína ao dia, seja ela vegetal, animal ou suplementar. Essa quantidade pode ser encontrada, por exemplo, em dois filés de frango grelhados, 100 gramas de queijo minas e dois ovos cozidos. Por isso, especialistas ainda discordam se o suplemento é realmente necessário.

Atente-se ao limite!

Stuart Phillips, especialista em nutrição esportiva do Grupo de Pesquisa em Metabolismo do Exercício da Universidade McMaster, no Canadá, ensina que a quantidade máxima de proteína ingerida por vez deve ser de 25 a 30 gramas — mais do que isso, o corpo não consegue absorver.

Cuidado com os rins

“Qualquer dieta rica em proteína gera aumento da produção de ureia no organismo, fazendo com que o rim passe a trabalhar mais. Essa alimentação pode ser prejudicial a pessoas que têm doenças renais graves ou alterações nos rins que passam despercebidas. ‘Em ambos os casos, o excesso de proteína sobrecarrega o rim e pode levar a lesões permanentes no órgão. Por isso, uma pessoa que pretende consumir o suplemento deve procurar um médico para saber como anda a saúde de seus rins’, diz o nutrólogo.”

Whey protein não é refeição

Por não possuir todos os nutrientes de uma refeição completa, como vitaminas e fibras, o whey não deve ser usado como substituto do almoço ou do jantar.

Nem todo whey é igual

“A versão concentrada é o tipo que possui a maior quantidade de carboidrato e gordura, e cerca de 80% de sua fórmula é composta por proteína. Já o isolado tem 90% ou mais de proteína em sua composição. O tipo hidrolisado é mais refinado – ou seja, as proteínas são formadas por moléculas menores e, portanto, absorvidas mais rapidamente.”

A hora escolhida para o consumo não interfere no efeito

“Não existe consenso em relação ao melhor momento do dia para fazer uso de whey protein. Segundo o pesquisador canadense Stuart Phillips, estudos atuais mostram que a hora em que o suplemento é tomado não parece interferir significativamente no efeito do produto. Nutricionistas costumam indicar o consumo após uma atividade física de força. Isso porque esse é o momento em que o músculo precisa se regenerar — papel desempenhado pela proteína, tanto a sintetizada pelas células do tecido muscular quanto a obtida pela alimentação.”