MUNDO
18/04/2014 10:31 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:23 -02

Avalanche no Monte Everest mata pelo menos 12 pessoas na pior tragédia da história

Pasang Geljen Sherpa/AP

Pelo menos 12 pessoas morreram em uma avalanche na manhã desta sexta-feira (18), no Monte Everest, o pico mais alto do mundo, localizado no Nepal. Outras três pessoas estão desaparecidas, de acordo com as autoridades locais. É o maior desastre na montanha em 61 anos, desde a primeira conquista do monte de 8.850 metros de altitude.

Os mortos eram todos guias da etnia xerpa, que estava em uma rota de escalada, preparando cordas para outros montanhistas, a 6.400 metros de altitude. A avalanche atingiu o grupo por volta das 6h30 (horário local, 21h30 de quinta-feira em Brasília), de acordo com o ministro do turismo do Nepal, Krishna Lamsal, em entrevista à agência Associated Press.

Outros dois guias ficaram feridos e foram levados de helicóptero para a capital Katmandu. O estado de saúde de ambos não foi revelado pelas autoridades.

Centenas de alpinistas e suas equipes aguardam no campo base do Everest, se preparando para tentar escalar os 8.850 metros da montanha, enquanto as condições meteorológicas ainda se mostravam desfavoráveis nessa temporada de subidas autorizadas pelo governo nepalês, que termina no próximo mês. O trabalho dos xerpas é garantir as condições mínimas nas rotas para facilitar a escalada.

Esse foi o pior desastre no Everest desde 1953, quando o neozelandês Edmund Hillary e o xerpa Tenzing Norgay tornaram-se os primeiros e chegarem ao cume do monte. De lá para cá, mais de 4 mil alpinistas chegaram ao topo da montanha, enquanto mais de 300 perderam a vida na tentativa desse objetivo.

Anteriormente, o acidente mais mortal no Everest havia sido registrado em 11 de maio de 1996, quando oito alpinistas morreram em uma tempestade de neve.