NOTÍCIAS
12/04/2014 13:47 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:23 -02

Ataque com gás venenoso faz rebeldes e governo trocarem acusações na Síria

Thinkstock

A mídia estatal síria e as forças rebeldes disseram, neste sábado (12), que gás venenoso foi usado em uma aldeia no centro do país, ferindo dezenas de pessoas, o que levou ambos a trocarem acusações sobre o autor do ataque.

O principal grupo de oposição apoiado pelo Ocidente, a Coalizão Nacional da Síria, disse que o ataque de gás venenoso ocorrido na sexta-feira (11) feriu dezenas de pessoas na aldeia de Kfar Zeita, na província central de Hama. O grupo não disse que tipo de gás foi usado.

Sem dar mais detalhes, o Observatório Sírio de Direitos Humanos informou que as pessoas sofriam de problemas de respiração e asfixia após o ataque, aparentemente conduzido durante operações aéreas que deixaram uma fumaça pesada sobre a área.

A televisão estatal síria culpou membros da Frente Nusra ligada a al-Qaeda pelo uso de gás em Kfar Zeita, matando duas pessoas e ferindo mais de 100.

Segundo a reportagem, a Frente Nusra está se preparando para outro ataque químico contra a área de Wadi Deif, na província de Idlib e contra outra área em Hama. A mídia estatal não explicou como obteve os planos da Frente Nusra.

Um vídeo amador publicado online por ativistas da oposição mostraram um quarto de hospital em Kfar Zeita, que estava lotado de homens e crianças, alguns dos quais respirando através de máscaras de oxigênio. Em uma cama, o vídeo mostrava seis crianças - alguns com aparente dificuldade em respirar -, enquanto outros choravam.